Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 02/04/2018

27% dos jovens entre 15 e 17 anos estão fora das escolas no Brasil

No começo, as faltas são esporádicas. Depois, passam a ser semanais e por fim, ir à escola passa a não ser mais parte da rotina. Essa é a realidade de muitos alunos, o que acaba tornando a evasão escolar uma realidade muito comum nas escolas brasileiras.

 

Ao lado dos baixos níveis de aprendizagem, a evasão escolar constitui uma das maiores dificuldades do Ensino Médio. E implica em prejuízo econômico de R$ 35 bilhões por ano aos cofres públicos. Segundo uma pesquisa do Instituto Ayrton Senna e pelo Instituto de Ensino e pesquisa (Insper), quando o aluno abandona a escola, o valor do custo sobe, porque o jovem fica mais suscetível a problemas com violência e saúde quando está fora do ambiente escolar.

 

Ainda segundo a pesquisa, 2,8 milhões de jovens – com idades entre 15 e 17 anos – não se matricularam no início do ano letivo de 2018. Esse dado corresponde a 27% de possíveis alunos, entre os 10 milhões de jovens nessa faixa etária que deveriam estar frequentando a escola. O estudo também identifica algumas razões para o desengajamento dos estudantes. Entre os fatores estão: falta de interesse, baixa qualidade do ensino, clima do ambiente escolar e a baixa resiliência emocional.

 

Com uma didática adequada e com a parceria entre família e escola, a evasão escolar pode diminuir. “A estratégia que nós temos para diminuir essa saída é estar cada vez mais perto da família porque, na maioria das vezes, problemas externos podem contribuir para o abandono”, explica Sheila Melo Araújo, coordenadora da Escola Iupe, umas das 18 mil instituições de ensino parceiras do Educa Mais Brasil.

 

Para reverter o quadro, o estudo propõe a criação de políticas públicas para diminuir o desengajamento como a garantia de acesso às escolas, principalmente para aqueles que vivem em áreas rurais ou que têm alguma deficiência, um sistema de aconselhamento, flexibilização dos horários das aulas e do modelo de avaliação.

 

Bolsas de estudo como alternativa

 

Para quem deseja oferecer aos filhos uma educação de melhor qualidade ou quer mantê-los em escolas particulares mas não pode pagar mensalidade integral, o Educa Mais Brasil oferece bolsas de bolsas de estudo para Educação Básica, Ensino Fundamental. Para mais informações, você pode acessar o site https://www.educamaisbrasil.com.br/correio e saber se as instituições de seu interesse estão entre as mais de 18 mil parceiras em todo o Brasil. A inscrição é gratuita.

 

 

As informações são do Correio.