Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/02/2015

Ação de impacto contra o aedes no Sítio Novo

622015155422 Feira de Santana se antecipou ao dia de mobilização nacional e, nesta sexta-feira, 6, realizou uma ação de impacto contra o mosquito aedes aegypti no bairro Sítio Novo. A localidade foi a que apresentou maior número de casos suspeitos da dengue e da febre chikungunya, neste ano.
Em 2015, conforme o último boletim divulgado no dia 3, foram notificadas pela Vigilância Epidemiológica (Viep) 50 ocorrências suspeitas da nova doença no município, sendo destas 30 confirmadas pelo critério clínico epidemiológico. Na manhã de hoje, agentes de endemias e equipes de educação em saúde saíram pelas ruas do Sítio Novo visitando as residências.

 

Orientaram os moradores, distribuíram materiais informativos e utilizaram da bomba costal para borrifar os quintais com inseticida, onde foi identificada ainda a presença de larvas do mosquito. Ação semelhante foi realizada pelos prepostos da SMS nos últimos dois meses do ano passado.

 

“Fizemos um trabalho de conscientização no Sítio Novo com os moradores, entre os meses de novembro e dezembro, mas é preciso ainda uma maior sensibilização para que combatam os focos do mosquito em seus domicílios”, afirmou a coordenadora de Educação em Saúde, Áurea Cerqueira.

 

Durante a ação, os agentes encontraram recipientes favoráveis para proliferação do mosquito. Ainda sentindo fortes dores nas articulações e cãibras constantes, após ser diagnosticada com a febre chikungunya há cinco meses, a aposentada Dalva Lima, 64 anos, ficou surpresa quando os agentes a informaram da presença de lavas do aedes em um pequeno reservatório de água.

 

A enfermeira referência da SMS, Maricélia Maia, reforça que a participação da população é fundamental para o controle da dengue e da chikungunya. “Em janeiro, a Viep recebeu notificações suspeitas de casos novos, o que representa possivelmente a permanência do foco do mosquito na área. Portanto, é preciso a participação efetiva da população para combatê-lo”, diz.

 

A recomendação é não deixar água acumulada, acondicionar o lixo em sacos plásticos e colocá-los a disposição da coleta, manter o quintal sempre limpo, fechar com tampas as caixas d’água e receber o agente de saúde na residência.