Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 06/05/2016

“Açúcar em excesso faz mal e pode viciar”, afirma nutricionista

65483f7c-9861-4bf9-be48-445c75c3e224

“O excesso de glicose na circulação é ruim. Mas, o excesso de frutose parece ser muito pior”. Esta é a afirmação da nutricionista Islayne Nogueira, do Hapvida Saúde, ao fazer um alerta sobre o consumo exagerado de açúcar. De acordo com a profissional, a ingestão exagerada desse ingrediente faz mal principalmente porque ele gera vários tipos de doenças. Ainda segundo a nutricionista, existem vários tipos de açúcar: mascavo, demerara, cristal e refinado, além da frutose natural, que é saudável por vir acompanhada de vitaminas, minerais e fibras. Segundo ela, esses nutrientes garantem que a frutose seja absorvida lentamente pelo organismo, o que não acontece em outros casos.

 

“A frutose derivada do açúcar de cozinha e a frutose ultra concentrada usada no xarope de milho que adoça os refrigerantes e sucos industrializados só podem ser metabolizadas pelo fígado, enquanto que a glicose pode ser absorvida por outros tecidos, como músculos. Se os seus níveis de glicogênio hepático estão cheios, o que acontece todos os momentos do dia, exceto antes de tomar o desjejum, após isso, a frutose é transformada em gordura”, reforça Islayne.

 

Após a ingestão do açúcar, o organismo libera os hormônios Dopamina e Serotonina. Isso causa uma momentânea sensação de bem-estar, mas é preciso ter cuidado

 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa pode consumir até 25 gramas por dia, o equivalente a seis colheres de chá ou duas colheres de sopa. Quando consumido, uma região do cérebro é ativada e ocorre a liberação de hormônios, que provoca algumas reações no corpo e pode viciar. “Ao ingerirmos açúcar, logo há a liberação dos hormônios Dopamina e Serotonina. Isso causa uma momentânea sensação de bem-estar, mas com a liberação da insulina, esse estado de excitação passa rapidamente, e a pessoa sente vontade de comer mais açúcar, portanto, é preciso cuidado porque ele pode sim viciar”, afirmou a nutricionista.

 

Quando questionada sobre os alimentos industrializados que mais contém açúcar em sua composição, Islayne destacou os refrigerantes, sucos industriais, achocolatados, biscoito recheados, chocolate branco e ao leite e até molhos prontos. “Precisamos ficar atentos aos alimentos que mascaram o sabor do açúcar. A melhor forma de saber essa quantidade é fazendo a leitura dos rótulos dos alimentos e as tabelas nutricionais. Observar sempre quanto há de maltodextrina, frutose, xarope de milho, glucose, dextrose, xarope de frutose, açúcar invertido, maltose e amido modificado já podem ajudar a evitar um consumo excessivo”, diz a profissional.

 

Para ajudar quem tem vontade de diminuir a quantidade de ingestão de açúcar, ela orienta que é preciso começar reduzindo o açúcar refinado para ir gradativamente mudando sua rotina até eliminar ele totalmente e mais: “Se escolher utilizar adoçante, prefira sempre os naturais como stévia ou xilitol”, finaliza.

 

Acompanhe abaixo os malefícios do açúcar e as dicas de como diminuir seu consumo!

 

Pontos negativos do açúcar

 
– Não alimenta, apenas drena e consome as vitaminas do complexo B e minerais como o cálcio, pelas exigências da sua digestão e metabolismo;

 

– Quando ingerido com outros alimentos, estes ficam retidos no estômago, aumentando a atividade dos sucos gástricos que, por sua vez, aumentam a acidez estomacal;

 

– O excesso do açúcar predispõe a diabetes e o aumento de gordura no sangue;

 

– Causa fermentação, principalmente se ingerido como sobremesa;

 

– Afeta os órgãos, pois o excesso transforma-se em gordura, predispondo à obesidade e ao depósito de gorduras no fígado, coração e rins;

 

– No intestino destrói as bactérias benéficas, aumentando a população dos parasitas intestinais, especialmente a Candida albicans;

 

– Altera o equilíbrio hormonal e enfraquece os ossos, tornando ácido o sangue. Minerais como cálcio e magnésio são mobilizados para tentar retomar o equilíbrio ácido-alcalino do sangue;

 

– Deprime o sistema imunológico;

 

– Inibe a produção de enzimas digestivas, interferindo na síntese e digestão de proteínas;

 

– Alimenta células cancerígenas, pois a elevação da insulina faz com que o IGF (insulin – like growth factor) estimule o crescimento das células cancerosas e a capacidade de invadir outros tecidos.

 

Dicas para quem deseja reduzir o açúcar da vida

– Comece reduzindo o açúcar refinado para ir gradativamente mudando sua palatividade, até eliminá-lo totalmente;

 

– Faça substituições saudáveis, como por exemplo: frutas com casca, chocolate amargo (cacau acima de 70%);

 

– Evite consumir sucos industrializados, refrigerantes, assim como doces de maneira geral, balas, goma de mascar e demais carboidratos simples (arroz, pão, bolachas e bolos). Eles também têm absorção rápida e podem causar danos à saúde;

 

– Não adoce sucos de frutas naturais;

 

– Utilize o mel, açúcar mascavo ou demerara, porém, moderadamente, uma vez que também têm uma rápida absorção, não podendo ser usados por pessoas que tem diabetes, mas sua vantagem está no fato de conterem vitaminas e minerais importantes que o açúcar refinado perdeu e por isso “rouba” cálcio e vitamina B1 do organismo;

 

– Se escolher utilizar o adoçante, utilize os naturais como stévia ou xilitol;

 

– Substitua todos os carboidratos refinados (pães, massa, biscoito) pela versão integral.

 
CORREIO