Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 23/05/2016

Ana Paula Valadão propõe boicote à C&A por comercial que sugere roupas sem gênero e vira alvo de críticas

ana-paula-valadaoA cantora Ana Paula Valadão causou um verdadeiro rebuliço na internet na última sexta-feira, 20 de maio, quando propôs um boicote à rede de lojas C&A, por causa de um comercial em que a marca sugere aos consumidores que usem roupas sem gênero e/ou do gênero oposto.

 

Expressando sua “santa indignação” no Facebook, a cantora e pastora disse acreditar “que estão provocando para ver até onde a sociedade aceita passivamente a imposição da ideologia de gênero”, e que “nós que conhecemos a verdade imutável da Palavra de Deus não podemos ficar calados”.

 

“Temos que boicotar essa loja e mostrar nosso repúdio. Nos EUA a loja Target já teve prejuízo porque mais de 1 milhão de pessoas pararam de comprar (inclusive eu) desde que determinou que os banheiros feminino e masculino podem ser usados por quaisquer pessoas que se sintam homem ou mulher naquele dia, aumentando os riscos de abusos (que já aconteceram em outros lugares que apoiam a ideologia de gênero)”, acrescentou.

 

A propaganda em questão acabou ganhando maior repercussão depois que Ana Paula incitou o boicote, repetindo o caso da Avon, quando o pastor Silas Malafaia pregou o boicote à marca de cosméticos por causa de uma propaganda de Dia dos Namorados que mostrava um casal homossexual.

 

Os usuários do Facebook que tiveram contato com a publicação de Ana Paula reagiram de formas diversas. Entre os que repudiaram a proposta de boicote, houve quem sugerisse que a cantora seja “infeliz”: “Você deve ter dentro de você uma infelicidade gigante. Você usa a fé das pessoas como desculpa para impedir que outras pessoas sejam felizes do jeito delas […] Desejo que você encontre força em si mesma, se liberte das amarras do machismo e seja realmente feliz”, escreveu o internauta Phellipe Wanderley.

d

Já o usuário Claudio Rizzih questionou a praticidade da proposta de boicote: “Quero ver pais e mães evangélicos que trabalham na C&A não terem como pagar o aluguel no fim do mês porque perderam seus empregos. Que passem fome, não é o seu estômago que vai estar vazio né, Ana? Esta cada vez mais difícil te admirar. Que vergonha”, comentou.

 

Em defesa da cantora, o seguidor Marco De Souza adotou tom mais genérico para comentar o assunto: “Homem é homem, mulher é mulher, por isso temos que ter doutrina. A Bíblia fala ‘aquele que roubava, não rouba mais, nova criatura’. Não consigo entender esse cristianismo que ‘Deus só quer meu coração, meu corpo eu cuido’, misericórdia!”.

 

“O discernimento não é pra todos que querem, é pra todos que tem comunhão com o Espirito Santo, uns comentários sem base, parece que nem pensa pra comentar e fala besteira. Ouve, pense, e se necessário fale, fica a dica. E tem mais: o que a Ana ta falando é opinião dela e podemos dar a nossa sem ofender, sem desmerecer outras pessoas, tenho direito de discordar, mas desrespeitar é pra rebelde”, opinou Deivisson Martins.

 

No último sábado, 21 de maio, a cantora reagiu às críticas com a passagem bíblica de II Timóteo 4:3-5: