Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 21/03/2016

Ana Paula Valadão questiona como cristãos podem se manter fiéis ao PT diante do escândalo; Leia

lula-ministro-dilma-rousseffA cantor

a Ana Paula Valadão voltou a se posicionar a respeito da atual crise política e, em meio a diversas publicações sobre o tema, questionou qual o motivo da fidelidade cega de alguns cristãos partidários do PT à legenda.

 

Ana Paula, que já havia elogiado a postura do povo nas manifestações do último domingo, 13 de março, na defesa do país, afirmou que os cristãos precisam se apegar aos princípios de retidão e justiça do Evangelho, e não serem fiéis a partidos políticos.

 

“Eu penso que cristão não deve ser fiel a partido político algum. Devemos ser fiéis aos princípios do cristianismo que precisamos defender”, escreveu a cantora. “Não consigo entender petistas (principalmente cristãos) que continuam defendendo com unhas e dentes (são mesmo agressivos) um partido que comprovadamente é de ideologia comunista e afundado na corrupção”, acrescentou.

 

Em outra publicação, comentando a manobra que pretende transformar Lula em ministro-chefe da Casa Civil, Ana Paula comemorou a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal de conceder uma liminar contra a posse: “Amém! Amém! Amém! Suspensão para a posse do suspeito de corrupção e ex-presidente como ministro! Vamos orar para que os justos não se calem! Que essa liminar, essa ação judicial, seja definitiva! Não vamos parar de orar pelas pessoas que têm autoridade para resistir a esse golpe absurdo que quer garantir a impunidade dos corruptos no Brasil!”, escreveu a cantora.

 

“Mais uma vez afirmo que não sou contra pessoas, nem defendo esse ou aquele partido. Sou pelo Brasil e me posicionarei da mesma forma quando a justiça for aplicada para os corruptos de centro esquerda e centro direita”, pontuou.

 

“Votei num mentiroso”

 

A frustração com os escândalos de corrupção envolvendo o ex-presidente Lula (PT) e seus demais companheiros políticos foi tema de um desabafo do pastor Jonas Neves de Souza, da Igreja Batista do Povo, em São Paulo.

 

Em um rápido texto, Neves se descreve como alguém ingênuo, que acreditou no discurso do homem humilde que superou dificuldades, sempre usado por Lula, e acabou frustrado. O desabafo foi compartilhado por Ana Paula Valadão no Facebook.

 

“Votei nessa peste porque acreditei no seu discurso inicial. Fui ‘pobre, pobre, pobre de marré, marré de si’. Sei o que é vontade de comer uma carninha, uma maçãzinha, ou por um pouco mais de manteiga no pão e não poder. E nem eu nem meu pai ou irmãos éramos vagabundos, não. Todos trabalhávamos desde criancinha. A vida foi dura conosco. No início do meu ministério trabalhei em pequenos povoados e favelas. Vivi com ribeirinhos e colônias de leprosos na Amazônia. Liderei obra missionária sem recursos financeiros para mim nem para o campo. Tive e tenho pobres e miseráveis ao meu lado o tempo todo. Acreditei num discurso que pelo menos sinalizava uma ajuda que a ‘direita’ não indicava. Votei num mentiroso, corrupto e ignorante. Fui traído. A Pátria Amada foi traída. Lula, hoje, nem na refeição! O PT é comunista, eu sabia disso, pois, desde os catorze anos, no Colégio Estadual Dr Gastão Vidigal, em Maringá, como vice-líder de classe, conheci o discurso que mais tarde veio a ser assumido por esse fétido partido. Eu, imprudentemente acreditei que o Lula era mais nobre que o PT e que governaria para o povo. Fui imbecil. Insisto e peço a Deus que a minha família expulse o Lula e o seu PT da mesma maneira que se expulsa um demônio”, publicou o pastor, expressando indignação e revolta.

 

Gospel +