Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 28/07/2014

Após derrota no Brasileirão, Marquinhos Santos deixa o comando do Bahia

10337740_484972801637152_3767713755218806748_n O treinador Marquinhos Santos deixou o Bahia depois da derrota por 1 a 0 para o Internacional na noite deste sábado (26) na Arena Fonte Nova. O técnico deixa o clube na zona de rebaixamento do Brasileirão.

 

“A gente sabe da dificuldade, gostaríamos de continuar, claro, até o encerramento do ano, porque confio na diretoria, acreditando na equipe, no grupo. Não tenho dúvidas que o Bahia sairá dessa situação, alcançará logo logo um pelotão intermediário e buscando o pelotão da frente”, afirmou o treinador.

 

Ele falou ainda sobre de quem é a culpa pelo Bahia estar na atual situação complicada. “A gente sabe das responsabilidades, acho que não tem nenhum culpado, claro que a responsabilidade tem que ser dividida, eu tenho a minha parcela”. Ele ainda agradeceu à imprensa e à diretoria tricolor. “Só tenho a agradecer”.

 

O treinador disse que entre ele e a diretoria foi “muito limpo, muito transparente” e que já havia conversado com dirigentes sobre sua saída depois da derrota para o Corinthians pela Copa do Brasil. “Mas eu sou profissional, sou ético, até por conta disso, para não deixar o Bahia na mão, fiz esse jogo. Colocamos o melhor, buscamos a vitória, mas sabíamos que mediante da situação do Bahia seria inevitável a demissão”.

 

Marquinhos enalteceu a torcida tricolor. “Sua maior riqueza (do Bahia), não tenha dúvida que é a sua torcida. Essa torcida é apaixonante, aprendi a admirar, me respeitaram… Passamos por momentos muito difíceis, mas sempre acreditando. E eles também passando a acreditar no trabalho. Só tenho a agradecer. Encerra-se uma passagem. Vida que segue”, finalizou, agradecendo ainda ao grupo de atletas do clube.

 

Em nota, o Bahia comentou a saída de Marquinhos. “O Esporte Clube Bahia comunica à Nação Tricolor que Marquinhos Santos não é mais técnico do Esquadrão de Aço. A partir da sua saída, a diretoria começa a busca por um novo comandante para a equipe. Toda o corpo diretivo agradece pelo serviços prestados e deseja sucesso em sua carreira”, diz o texto.

A principal conquista do treinador no tricolor baiano foi o título estadual deste ano, conquistado sobre o rival Vitória. Mas o técnico também comandou o Bahia na Copa do Nordeste, quando o time foi eliminado precocemente, e na pior sequência do tricolor na história do Brasileirão por pontos corridos – deixa o clube com 6 derrotas seguidas e sem vencer há 9 partidas.

 

Antes mesmo da saída de Marquinhos, o clube já avaliava alternativas e o nome que surge mais forte é o de Gilson Kleina, que comandou o Palmeiras no último ano. Neste sábado, Valton Pessoa confirmou o favoritismo de Kleina – ainda ao lado de Marquinhos, durante coletiva. “Gilson Kleina é um dos nomes. Ao meu ver, muito bom. Ney Franco não foi procurado”, afirmou.

 

Aposta

 

Marquinhos Santos foi anunciado como novo treinador do Bahia em 12 de dezembro do ano passado, depois de passagem pelo Coritiba. Ele substituiu Cristóvão Borges, que não entrou em acordo com a diretoria para permanecer clube e acabou fechando contrato com o Fluminense posteriormente.

 

Natural de Santos, Marquinhos tem 35 anos e experiência destacada nas categorias de base. Ele treinou todas as categorias de base do Atlético-PR, conquistando por lá 16 títulos em 9 temporadas. Comandou também a Seleção Brasileira Sub-15, onde foi campeão da Copa Sul-Americana invicto. Em 2013, comandou o bom começo de temporada do Coritiba, mas acabou saindo do clube depois de uma sequência negativa.

 

No Bahia, o treinador viveu sempre sob a desconfiança do torcedor, mesmo com o título baiano conquistado diante do maior rival.

 

Nos últimos 15 jogos, o Bahia teve somente quatro vitórias – foram mais quatro empates e sete derrotas. No período, o Bahia marcou 12 gols e levou 18, com aproveitamento caindo para 36%. Além da zona de rebaixamento, ele também deixa o clube em situação difícil na Copa do Brasil. Ao todo, Marquinhos comandou o time por 35 jogos, com 14 triunfos, 10 empates e 11 derrotas, aproveitamento final de 49%. Sob Marquinhos, o Bahia marcou 39 gols e sofreu 38.