Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 12/06/2017

Arraiá do Comércio começa com muito forró

Cultura, tradição, entretenimento, negócios e muito, mas muito forró todos os dias. O Arraiá do Comércio, que acontece pela 18ª vez, foi oficialmente iniciado na noite desta sexta-feira, 9, e abre os festejos juninos em Feira de Santana. Será encerrado no dia 17.

 

Até domingo da próxima semana, a praça do Fórum – o arraiá ocupa quase quatro mil metros quadrados da sua área -, deverá ser o destino dos feirenses depois dos expedientes. E no palco apenas trios de forrozeiros, também conhecidos como pé de serra.

 

E a noite já começou quente, como convém a todo arrasta-pé. Vários casais entraram logo no espaço destinado à dança e mostraram que estão dispostos a aproveitar o período. A primeiro noite – como todas as outras – será encerrada por volta das 22h.

 

O secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior, que representou o prefeito José Ronaldo de Carvalho, lembrou que o arraiá começou com apenas 12 barracas. “E a prova do seu sucesso é que mais de 80 pequenos agricultores estão vendendo seus produtos”.

 

Enfatizou que várias secretarias estão envolvidas na execução do projeto, como a da Saúde, com assistência médica, de Serviços Públicos, com limpeza e iluminação, mais agente da SMT que não permitirá a circulação de veículos no lado esquerdo da praça – neste final de semana a partir do meio-dia, e da Secel.

 

Para a coordenadora da unidade local do Sesc, Ana Silmara, o Arraiá do Comércio promove a cultura regional e a sua culinária, bem como favorece a venda de produtos produzidos nas pequenas propriedades rurais. “É um período onde a economia deste segmento é aquecida”. O Sesc é um dos parceiros da Prefeitura na execução deste projeto.

 

O presidente do Sindicato do Comércio, José Carlos Moraes Lima, analisa que a venda dos produtos, como a contratação das bandas, favorece as lojas locais. “Todo ou grande parte do dinheiro que circula aqui vai ser gasto nos estabelecimentos comerciais de Feira”. A instituição também é parceira, como o Senac, que orienta os produtores.