Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 25/07/2016

Ateus tentam impedir que crianças visitem o ‘parque da Arca de Noé’

3111072343-ark-encounter

O organização ateísta ‘Freedom From Religion Foundation’ (FFRF) enviou cartas a mais de 1.000 distritos escolares, alertando-os sobre a ‘inconstitucionalidade’ de levar os alunos para visitar o recém-inaugurado parque ‘Ark Encounter’ (‘Encontro da Arca’), idealizado pelo cientista cristão, Ken Ham. O parque tem como objetivo, contar a conhecida história bíblica da Arca de Noé de uma forma didática e interativa.

 

De acordo com o site norte-americano ‘EAGnews.com’, a FFRF enviou as cartas para os distritos escolares dos estados de Kentucky, Tennessee, Indiana, West Virginia e Ohio. O grupo afirma que a realização de excursões de escolas públicas ao parque – que tem uma réplica em tamanho real da Arca de Noé – iria “violar a Constituição dos Estados Unidos”.

 

“Neste país, Ham está livre para erguer monumentos à sua Bíblia, mas as escolas públicas não estão autorizadas a expor as crianças a mitos religiosos e ao proselitismo”, diz o texto presente nas cartas.

 

As escolas, portanto, correm o risco de enfrentar processos por causa de advertência do FFRF. Muitas escolas temem enfrentar grandes processos e multas, caso tentem desafiar a FFRF.

 

Ken Ham, o fundador da organização científica criacionista ‘Respostas em Gênesis’ e criador do ‘Ark Encounter’, ofereceu-se para receber excursões escolares em sua grande réplica da Arca por apenas 1 dólar cada aluno (o valor normal do ingresso é de 40 dólares) e os professores teriam entrada gratuita.

 

“Com base na Primeira Emenda da Constituição dos EUA, as escolas públicas são absolutamente livres para levar os alunos em viagens de campo ou excursões (com permissões parentais adequadas) para instalações como o parque ‘Ark Encounter’ e o Museu da Criação, desde que sejam para fins históricos, recreativos ou educacionais. A FFRF não tem o direito (nem base jurídica alguma) para intimidar escolas públicas, como está tentando fazer com esta carta enviada a mais de 1.000 escolas”.

 

“Americanos, peço-lhes para se expressarem diante da FFRF! Nós precisamos que eles saibam que não vamos ser intimidados a ir contra os nossos direitos da Primeira Emenda”, continuou Ham.

 

 

Guiame