Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/05/2018

Aumento de tempo de prova do Enem agrada candidatos e professores

O Ministério da Educação divulgou algumas mudanças para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018. Uma delas foi o aumento do tempo de prova do segundo dia. Agora, os alunos poderão fazer questões de ciências da natureza e matemática em cinco horas, 30 minutos a mais do que em 2017. Neste ano, as inscrições para o exame terminam no dia 23 de maio. Portanto, fique ligado para saber como se inscrever no Enem.

 

De acordo com Marcelo Ferraro, assistente de coordenação do curso Anglo Leonardo da Vinci, havia uma necessidade de se aumentar esse tempo de prova — fator este percebido tanto pelos responsáveis pela organização do Enem quanto por cursinhos e professores. “A prova era muito exaustiva e o tempo não era suficiente, de modo que os alunos que eram aprovados não necessariamente demonstravam melhor resultado, mas sim aqueles que demonstravam bom resultado em menos tempo, prejudicando, inclusive, bons candidatos”, explica Marcelo.

 

A alternativa foi, então, aumentar o tempo de prova dessas áreas do conhecimento para manter a qualidade e um bom critério de seleção. Na avaliação de Marcelo, o tempo adicional estabelecido foi razoável. Perguntado se esse tempo a mais não poderia fazer com que a prova tivesse um grau de dificuldade maior, Marcelo diz que ainda não há indícios de que isso possa acontecer, embora o aumento de tempo pudesse levar a uma reavaliação do grau de dificuldade dos exercícios. “As informações até o momento apontam apenas para o aumento do tempo de prova”, diz.

 

William Bruno Silva, 19, vai fazer o exame pela quarta vez. Cursava direito até o ano passado, mas agora decidiu focar em medicina. Em 2017, o estudante relata que passou aperto com o tempo no dia da prova de exatas. “Bateu um desespero”, diz o estudante. Ele gostou do adicional de tempo. “Gostei bastante, pois sempre tem aquelas questões que demandam um tempo extra, que são as mais difíceis”, afirma.

 

Dicas para aproveitar o adicional de tempo

 

Para uma prova de vestibular, seja Enem ou outra faculdade, Marcelo recomenda que o estudante identifique as questões fáceis, médias e difíceis ou mais trabalhosas. “Dessa forma, ele deve privilegiar as questões fáceis e médias em uma primeira varredura da prova e deixar as difíceis e mais trabalhosas para o fim”, ensina. Mas faz uma advertência. “Se deter em um exercício, mesmo que seja difícil ou trabalhoso, não implica necessariamente, em prova alguma, uma pontuação superior a das questões fáceis e médias”.

 

Além disso, o Enem possui um sistema que calcula a probabilidade de uma questão difícil ter sido acertada no chute, cálculo este conhecido como TRI (teoria da resposta ao item). Se o exame acredita que o aluno chutou aquela questão em particular, seu valor é reduzido. “Se esse estudante errou muitas questões fáceis, mas acerta questões difíceis, o ENEM pode interpretar como um chute e o candidato pode ter uma nota menor do que se tivesse acertado questões fáceis e médias”, exemplifica Marcelo.

 

É fundamental que o aluno administre a ansiedade em relação à prova. Para ajudar, a dica do especialista é fazer o maior número de simulados possíveis antes da realização do Enem. Dessa forma, o estudante consegue desenvolver sua própria estratégia de prova para ser aplicada no dia do exame, além de desenvolver melhores práticas para otimizar e controlar tanto o nervosismo quanto o tempo.

 

Segundo Marcelo, antes, o Enem destoava dos vestibulares mais tradicionais, principalmente de São Paulo, por possuir um grau de imprevisibilidade.

 

Nos últimos anos, no entanto, o exame assumiu uma cara própria com algumas mudanças e aprimoramentos. “As questões interdisciplinares se tornam uma característica do Enem, assim como um tipo de repertório exigido do aluno que não é tão conteudista quanto costumavam ser os vestibulares mais antigos”. O que se busca são interpretações mais relacionais e processuais no caso das provas de humanas. As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acontecem nos dias 4 e 11 de novembro. No primeiro dia, serão aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias. Já no segundo dia, as questões serão de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.