Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/07/2014

Aumento do número de cáries em crianças preocupa os dentistas

25663-2A danificação dos dentes por conta das cáries pode existir a partir do estilo de vida do indivíduo, através do que ele come, da regularidade com que escova os próprios dentes e até mesmo da presença e quantidade de flúor que contém na água ou no creme dental.

 

Apesar de ser muito mais comum em crianças, os adultos também podem adquirir essa deterioração, sendo que elas surgem também em decorrência da xerostomia, ou boca seca, que é uma doença que causa a falta de saliva. “Durante um longo período de tempo as cáries evoluem de maneira assintomática”, é o que explica Dr. Gustavo Moreira de Almeida (CRO BA 5737), Mestre em Endodontia e Diretor do Centro de Odontologia Avançada (COA), em Ilhéus.

 

De acordo com ele, normalmente as cáries só provocam dor de dente quando as lesões se aprofundam além do esmalte dentário e afetam as terminações nervosas da dentina, principalmente após ingerir alimentos ou bebidas doces, quentes ou frios. “Caso não seja tratada, a cárie poderá destruir o dente, atingindo sua polpa e trazendo um abscesso, dessa forma, o único meio de tratá-la é através do tratamento de canal, cirurgia ou a extração do dente danificado”, explica Dr. Gustavo.
Ao relacionar a frequência e a gravidade da doença, existe uma distinção entre adultos e crianças. Os pequenos são mais suscetíveis a adquirir as cáries, já que o problema está relacionado diretamente com a dieta rica em açúcares (doces, refrigerantes, sucos artificiais), além de uma higienização mais deficiente. “Muito comum também é a famosa cárie de mamadeira, associada ao consumo principalmente de leite com achocolatado ou açúcar que a criança faz antes de dormir sem escovar os dentes em seguida”, exemplifica Dr. Gustavo.

 

Diagnóstico e tratamentos

 

É importante lembrar que se não for diagnosticada e tratada, além da dor e do desconforto, a evolução da cárie pode levar à degradação da polpa dentária, que é responsável pela vitalidade do dente, além da formação de abscessos. “Nesses casos, a preocupação é grande, pois existe o risco de uma infecção local se disseminar para outras partes do organismo”, comenta Dr. Gustavo.

 

No caso das crianças, o mais recomendado é criar uma rotina de consultas com um Odontopediatra, já que são os profissionais mais capacitados para realizarem os procedimentos necessários, além de conseguirem lidar com o estresse emocional dos pequenos, causados pela dor e ansiedade. Para os especialistas, é recomendável que os pais mantenham uma visita regular de seis em seis meses para checar a saúde dos dentinhos.

 

“O melhor tratamento é sempre a prevenção. Portanto, para evitar a cárie devemos manter uma ótima saúde bucal escovando bem os dentes após as principais refeições, usar fio dental, estabelecer uma dieta balanceada e visitar regularmente seu dentista”, finaliza.