Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/09/2014

Bahia encerra jejum de seis rodadas e bate o Figueirense

RTEmagicC_bahiafigueira01.jpgO Bahia recebeu o Figueirense no estádio Joia da Princesa, na tarde deste domingo (14), em partida válida pela 21ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O tricolor teve que jogar longe da capital por conta de uma punição imposta pelo STJD, graças a superlotação que aconteceu no dia 29 de maio, no próprio Joia, em duelo contra o Santos, também pelo Brasileirão. Após seis rodadas em jejum de triunfos, o tricolor não fez feio e, com uma atuação empolgante, bateu o Figueirense em Feira de Santana: 3 a 0. Os gols forma marcados por Kieza (2) e Maxi Biancucchi).

 

Primeiro tempo

 

O Bahia começou a partida pressionando, mas o primeiro lance de perigo foi do Figueirense e logo aois dois minutos de jogo. No contra-ataque, a bola sobrou para William, que recebeu na esquerda e bateu cruzado para fora. Embora tivesse mais posse e apresentasse mais volume de jogo, o Bahia abusou um pouco das jogadas aéreas, principalmente com Guilherme Santos pela esquerda, mas não obteve êxito.

 

Confusão

 

Se em maio a falta de estrutura do Joia da Princesa trouxe punição ao Bahia, desta vez é a torcida que pode complicar a situação do Esquadrão. Torcedores de Bahia e Figueirense se estranharam e o conflito resultou na prisão de oito torcedores da Torcida Organizada Bamor.

 

Aos 13 minutos, o Figueirense chegou com Giovanni Augusto. O camisa 10 aproveitou um passe para virar bonito, de primeira, mas a bola foi para fora. Aos 17, a insistência da bola levantada funcionou para o Bahia. Após cobrança de escanteio feita por Emanuel Biancucchi, Rafael Miranda tentou cabecear, a zaga tentou cortar, mas a redonda sobrou mesmo para Kieza encher o pé e estufar as redes: 1 a 0.

 

O primeiro tento não fez o Bahia relaxar e o time de Gilson Kleina continuou pressionando. Aos 23, Guilherme Santos deu boa enfiada para Emanuel Biancucchi, mas o argentino não pegou bem e errou a finalização. Um minuto mais tarde, o tricolor ampliou. Kieza dominou do lado esquerdo da grande área, ganhou no corpo para o zagueiro e bateu colocado, bonito, no canto direito de Tiago Volpi: 2 a 0.

 

Sem outra alternativa, o Figueirense teve que sair para buscar o placar. Por sua vez, o Bahia recuou e passou a apostar nos contra-ataques. Aos 31 minutos, Giovanni Augusto carregou pelo meio e tabelou com Roberto Cereceda. Ao receber a redonda, ele esperou a marcação chegar caiu, mas o árbitro não foi na dele e ainda aplicou cartão amarelo no camisa 10 alvinegro. Quatro minutos mais tarde, Clayton recebeu na meia-lua e chutou no canto, obrigando Marcelo Lomba a fazer boa defesa.

 

Aos 40 minutos, o Figueirense quase abriu o placar, se não fosse uma infelicidade de Clayton. Após cobrança de escanteio, Nem cabeceou em direção ao gol; Lomba já estava batido no lance, mas Clayton, desavisado, acabou sendo atingido pela bola, que foi para fora.

 

Aos 42, Kieza recebeu passe em profundidade, invadiu a área e após a chegada da marcação, caiu. Assim como Giovanni Augusto, recebeu cartão amarelo. No finalzinho da primeira etapa, Guilherme Santos recebeu em profundidade e, de frente com Tiago Volpi, finalizou mal.

 

Ao término do primeiro tempo, Kieza reclamou da não marcação do pênalti. “Lógico (que foi pênalti). Não ia deixar de fazer o gol para me jogar. Acho que foi pênalti, ele me empurrou, mas a gente está jogando bem!”.

 

Segundo tempo

 

A segunda etapa começou corrida. Logo aos dois minutos, Paulo Roberto tabelou com Clayton e chutou forte, mas a bola foi para fora. O Bahia deu o troco aos sete: Railan invadiu a área e chutou, mas Marquinhos chegou antes e afastou o perigo.

 

Com a saída de Clayton e entrada de Pablo no Figueira, aos 15 minutos, o time do técnico Argel Fucks ficou mais leve e trabalhou melhor a bola, mas parecia afobado. Aos 20 minutos, Giovanni Augusto carregou pelo meio e chutou, mas Lomba caiu no canto certo e fez boa defesa. Aos 23, Pablo recebeu pela direita e, de fora da área, mandou um chutasso. O atacante quase surpreendeu Marcelo Lomba, mas a bola foi para fora.

 

Aos 31 minutos, Gilson Kleina tirou Rafinha e promoveu a entrada de Maxi Biancucchi. O argentino entrou em campo e não decepcionou. Aos 39, após cruzamento na área, a bola sobrou para Marco Aurélio, que deu belo passe para Biancucchi encobrir o goleiro e marcar um bonito gol: 3 a 0.

 

O Bahia ainda fez o quarto gol, aos 44 minutos, mas o árbitro pegou a posição irregular de Railan ao fazer um passe para Henrique marcar e anulou o tento. O tricolor voltou a aparecer com perigo aos 46 com Uelliton. O volante soltou a bomba em cobrança de falta, obrigando Tiago Volpi a fazer grande defesa.

 

Aos 48, o árbitro deu números finais a partida, fazendo o Bahia encerrar um jejum de vitórias que já durava seis rodadas. Com o resultado, o tricolor baiano foi à 20 pontos na tabela de classificação, mas não saiu da zona de rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro. O próximo jogo do Esquadrão acontece na próxima quarta-feira (17), contra o Botafogo, no Rio de Janeiro.

 

IBahia