Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 02/03/2015

Bahia registra queda na geração de emprego; Feira fechou mais de 600 postos de trabalho

5c0a9626d9c1ad61eae606d4dd80756fA Bahia contabilizou no mês de janeiro de 2015 um saldo negativo de 2.872 postos de trabalho com carteira assinada. A informação foi divulgada ontem (27) pelo do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Segundo o órgão, o resultado expressa a diferença entre o total de 62.536 admissões e 65.408 desligamentos. No entanto, o saldo registrado está em um patamar inferior ao contabilizado no mesmo período do ano passado quando mais 3.994 postos de trabalho foram criados.

 
Em janeiro de 2015, o resultado do emprego foi negativo tanto no interior do estado quanto na Região Metropolitana de Salvador (RMS). No interior foram fechados 1.880 novos postos de trabalho, e na RMS foram encerrados 992 postos de trabalho.

 

No interior do estado, em janeiro de 2015, Jequié, Amélia Rodrigues e São Francisco do Conde se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia. Jequié registrou 647 novos postos de trabalho, Amélia Rodrigues criou 626 posições com carteira assinada e São Francisco do Conde gerou 513 postos. Entre os municípios que tiveram os menores saldos de empregos em janeiro de 2015, ressaltam-se Maragogipe (-1.764 postos), Salvador (-1.222 postos) e Feira de Santana (-673 postos).

 

Segundo os dados do Caged, o setor que mais empregou na Bahia foi o de serviço, com mais 1.579 postos, seguido pela Indústria de Transformação (+569 postos), Agropecuária (+358 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (+81 postos). Registraram saldos negativos os seguintes setores: Comércio (-2.734 postos), Construção Civil (-2.585), Extrativa Mineral (-81 postos) e Administração Pública (-59 postos).

 

No acumulado dos 12 últimos meses, dos oito setores de atividade, três registram saldos positivos: Serviços (+22.013 postos), Comércio (+7.114 postos) e Administração Pública (+41 postos). Os outros cinco setores apresentaram resultados acumulados negativos. O pior saldo foi o de Construção Civil (-12,364), seguido por Indústria da Transformação (-2.792 postos), Agropecuária, Ext. Vegetal, Caça e Pesca (-885 postos), Extrativa Mineral (-376 postos) e Serv. Industriais de Utilidade Pública (-26 postos).

 

A Bahia (-2.872 postos) ocupou a sexta posição no saldo de postos de trabalho dentre os estados da Região Nordeste e a 19ª posição no Brasil em janeiro de 2015. Na Região Nordeste, o estado que gerou o pior saldo foi Pernambuco (-13.015 postos), seguido por Ceará (-6.580 postos), e em terceiro lugar está o Maranhão com o fechamento de -4.090 postos de trabalho. Os demais estados da Região Nordeste também tiveram saldos negativos. Piauí eliminou (-1.669 postos), Alagoas (-1.245 postos), Rio Grande do Norte (-1.210 postos), Paraíba (-951 postos) e Sergipe (-379 postos).