Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/02/2015

Canal de TV angolano suspende novela após cena de beijo gay

333 Se no Brasil as novelas alcançam altos índices de audiência mostrando casais homossexuais, na Angola um beijo gay fez com que a emissora suspendesse a exibição de novos episódios e com que a produtora emitisse um comunicado se desculpando.

 

O beijo entre dois homens apareceu na novela “Jikulumessu” no dia 28 de janeiro no canal de TV TPA, emissora pública angolana. O público se manifestou contra e no comunicado a Semba Comunicação, produtora responsável pela novela, precisou esclarecer que modificará a história.

 

A empresa disse que a cena buscava “encorajar o diálogo na sociedade sobre a tolerância e o respeito por todos os grupos sociais”, mas pediu desculpas pelas imagens que foram consideradas impróprias para os telespectadores.

 

O ator Pedro Hossi, um dos que aparece na cena polêmica, ficou horrorizado com a forma que o público angolano reagiu. “Assustei-me com a violência dos discursos. Não esperava que a cena levaria a uma polêmica tão grande, e acho que ela precisa ser bem conduzida. É preciso promover um diálogo saudável sobre a diversidade, sem extremismos”.

 

O autor da novela, José Eduardo Agualusa, também se manifestou sobre a decisão da emissora de cancelar a exibição e disse que estava triste com a confusão que se formou.

 
Em sua trama, Agualusa conta a história do personagem interpretado por Pedro Hossi, um homem casado e com dois filhos que começa a se relacionar com um jovem solteiro interpretado pelo ator Lialzio Almeida.

 

“Não cabe a mim julgar o personagem. Só quero contar sua história, e o beijo era importante porque avançava a história de amor entre os dois”, disse Hossi que está em Portugal gravando um novo projeto.
“Não sou homossexual, mas defendo que todos tenham seus direitos. Está claro que esse é um tema que ainda desperta muita confusão e que precisamos falar sobre isso. Acho que é o momento perfeito para promover essa discussão em Angola.”

 

Com informações O Globo