Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/12/2014

Caso Suzane von Richthofen vai virar filme

68314-3O caso envolvendo Suzane Von Richthofen, que planejou o assassinato dos pais em 2002, vai virar filme. O crime, que se tornou um dos mais famosos do Brasil, será retratado em um filme produzido pelo diretor Fernando Grostein Andrade, que atualmente está no comando do longa “Na Quebrada”, em cartaz nos cinemas.

 

Na última sexta-feira (31), Grostein anunciou a compra dos direitos de adaptação para o cinema do livro “Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane”, escrito por Roger Franchini. “É uma história pública, mexeu com a cabeça de todo o Brasil. Ainda não tenho hipótese sobre o que levou àquele assassinato. Mas o mais perto dela estará na tela”, contou o diretor de 33 anos.

 

Grostein e Franchini trabalham juntos no roteiro do longo, que ainda não tem previsão para ser concluído. Boa parte das filmagens será concentrada na noite do crime, segundo o autor do livro. “O Fernando quer fazer uma coisa sanguinária, que é o meu desejo também. Não queremos ser condescendentes nem com o espectador”, explica Franchini, que já atuou como investigador da Polícia Civil.

 

No livro “Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane”, o autor relata o envolvimento de Suzane com os irmãos Cravinhos e imagina os possíveis diálogos que eles tiveram na noite do crime. Todo conteúdo é baseado nos depoimentos do processo.

 

O irmão caçula de Suzane, Andreas, que rompeu com a irmã após ela confessar ser mentora do crime, não quis comentar o assunto.

 

Relembre o caso

 

Na madrugada do dia 31 de outubro de 2002, Manfred e Marísia von Richthofen estavam dormindo na mansão onde moravam, em São Paulo, quando foram brutalmente assassinados com golpes de barra de ferro. Pouco depois, a filha do casal, o então namorado dela, Daniel Cravinhos, e o irmão dele, Cristian, confessaram o crime.

 

Os irmãos foram condenados como executores, enquanto a filha mais velha respondeu pelo crime como mentora.

 

Suzane foi condenada a 38 anos e seis meses de prisão, enquanto os assassinos cumprem pena no regime semi-aberto.

 

Em outubro deste ano, Suzane, que atualmente tem 31 anos, abriu mão da herança dos pais alegando saber que não tem direito a nada. Ela declarou ainda que deseja apenas reencontrar o seu irmão caçula, Andreas.

 

Também em outubro, a ex-estudante de Direito se casou com Sandrão, uma colega de presídio condenada pelo sequestro e morte de um adolescente.

 

Fonte: Correio