Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/07/2014

CBF admite que pode contratar técnico estrangeiro para a Seleção Brasileira

10472688_483182365149529_8879866099325421871_n Com o vexame na Copa do Mundo de 2014, o técnico Luiz Felipe Scolari entregou o cargo e não é mais técnico da Seleção Brasileira. Com isso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já começa a procurar novos nomes para ocupar o cargo.

 

Dirigentes da CBF ainda não sabem quem será o novo treinador, mas já tem uma lista de possibilidades. Nela, estão nomes como os de Tite, apontado como favorito para o cargo, e o do espanhol Pep Guardiola.

 

Embora não seja uma ideia que agrade a todos na CBF, a contratação de um treinador estrangeiro já é encarada como realidade pela direção da entidade. A mudança de postura se dá pela imensa pressão popular e da imprensa nacional, que reforçou durante todo o Mundial que o futebol brasileiro precisa de reformulação e de uma nova visão para evoluir com sucesso.

 

Mudança de pensamento

 

Antes de Felipão assumir o comando da Seleção, o presidente da CBF José Maria Marin e Marco Polo Del Nero, que assumirá a presidência em 2015, vetaram a possibilidade de chamar um treinador estrangeiro, argumentando que o Brasil ganhou todos os seus cinco títulos com brasileiros no comando. Para eles, nenhum estrangeiro seria capaz de ensinar nada aos maiores campeões mundiais. Logo após o vexame diante da Alemanha, quando o Brasil foi goleado por 7 a 1, o discurso mudou e a possibilidade voltou a ser ventilada, com a sugestão do nome de Pep Guardiola.

 

Entre os brasileiros, o preferido é Tite, que se consagrou campeão com o Corinthians em 2011, 2012 e 2013. Outro forte nome é o do coordenador de base da Seleção Brasileira Alexandre Gallo, que pode assumir a equipe de forma interina. A ideia é que ele ganhe experiência para atuar no cargo principal nos Jogos Olímpicos de 2016.

 

As informações são do Correio.