Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 18/05/2018

Cela de prisão vira igreja clandestina após pastor e missionários serem presos por “blasfêmia”

O projeto Missão Bíblias para o Oriente Médio, que apenas esse ano já distribuiu cerca de 18 mil exemplares do Novo Testamento em um dos países mais fechados do mundo para o evangelho, o Irã, publicou o testemunho de um pastor e outros sete missionários da organização que foram presos por evangelizar para muçulmanos nas ruas.

 

Conhecido como o “Saul muçulmano”, o pastor Zakkir foi um ferrenho defensor do islamismo, até que se converteu ao senhor Jesus Cristo. Com o passar dos anos, ele se aprofundou na teologia cristã, assumiu uma pequena igreja clandestina e preparou outros sete missionários para atuar no Oriente Médio.
Sete meses atrás, Zakkir e os missionários, que tiveram seus nomes e a localização exata preservados por razões de segurança, evangelizaram nas ruas de uma região onde é grande a concentração de muçulmanos no país. Pouco tempo depois, eles sentaram para orar pelos que foram alcançados pela mensagem, foi quando policiais armados abordaram o grupo e, de forma violenta, agrediram eles e queimaram suas Bíblias.

 

Zakkir e os missionários foram levados para julgamento em um tribunal, mas antes disso já foram colocados na prisão, junto com criminosos violentos, como assassinos. Eles passaram mais de um mês enfrentando torturas e ameaças. Não podiam aparentar que estavam orando, pois eram agredidos.

 

Às coisas começaram a mudar quando um dos principais detentos que motivava às agressões ficou doente. “Podemos orar a Jesus por sua cura?”, perguntou o Pastor Zakkir a ele. “Não!”, respondeu o detento. “Você não pode orar por mim com esse nome e eu não quero ouvir esse nome de novo!”.

Entretanto, após agravar sua condição física e achando que ia morrer, ao ser perguntado novamente o prisioneiro aceitou a oração. Zakkir e os missionários impuseram suas mãos sobre ele e fizeram a oração em nome de Jesus Cristo. O detento ficou surpreso ao ver que sentiu alívio imediato das suas dores e já não sentia mais nada em seu corpo.

 

O fato chamou atenção dos outros detentos. Quando algum deles ficava doente ou muito deprimido, pedia orações. Aos poucos eles focam compartilhando a mensagem de Jesus Cristo e a cela onde estavam começou abrigar reuniões secretas de oração, onde também aprendiam sobre a Bíblia e louvores ao Senhor.

 

Zakkir e os outros sete missionários foram libertos algum tempo depois, mas deixaram um responsável para continuar o trabalho missionário na prisão, secretamente. Atualmente ele e seus fiéis colaboradores atuam em outro país, também no Oriente Médio, espalhando a mensagem de Jesus Cristo.
Com informações: Guiame.