Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/02/2015

Centenas de “igrejas” comemoram “Dia da Evolução”

xcharles-darwin-320x178.jpg.pagespeed.ic.Lz4xEEgQ_cQuase 500 igrejas dos Estados Unidos irão celebrar o aniversário de Charles Darwin esta semana, num movimento denominado “Domingo da Evolução”. Em resposta, muitas outras congregações farão cultos alusivos no que chamam de “Domingo do Criação”.

 

Dia 12 de fevereiro é o aniversário de Charles Darwin, autor da chamada Teoria da Evolução. Diversos grupos ateus comemoram o Dia Internacional de Darwin nesta data e fazem eventos com nomes alusivos ao ceticismo e o ateísmo.

 

Este ano, foi anunciado pelo conhecido naturalista Dr. Michael Zimmerman que ocorrerá nos EUA a “Semana da Evolução”. Segundo o doutor, será “uma grande oportunidade para uma discussão séria e reflexão sobre a relação entre religião e ciência”.

 

Desde 2006, milhares de congregações que defendem que Bíblia e evolução são compatíveis realizam o “domingo da Evolução”. Mas 2015 a marca chegou a meio milhar, em diversos Estados americanos.
O pastor Tony Breeden, disse ao site Christian News Network, que é preciso combater a apostasia dessas congregações. “A evolução questiona a autoridade da Palavra de Deus e a base fundamental do Evangelho”, afirmou.

 

“Se eu não posso confiar no relato literal da Bíblia, em Gênesis, optando por pressupostos totalmente naturais da ciência, por que deveria confiar nela quando se fala de um nascimento virginal, a ressurreição de Cristo, ou qualquer outra reivindicação sobrenatural na Bíblia?”, questiona Breeden. “Isso mina a base fundamental do próprio Evangelho.”

 

Embora reconheça a importância do diálogo entre ciência e religião, ele acredita que eles se tornam incompatíveis nos momentos que ela desafia a moralidade e o significado dos ensinamentos bíblicos.
“O próprio Jesus refutou essa falsa premissa quando disse a Nicodemos: ‘Se vos falei de coisas terrestres, e não credes, como crereis, se vos falar das coisas celestiais?”. Breeden ataca o que os teólogos chamam de Scriptura Sub Scientia [Escritura abaixo da ciência], onde a autoridade da Bíblia fica submetida às afirmações da ciência defendidas pelo naturalismo, que ignora “um criador sobrenatural, a ressurreição de Cristo, ou revelação divina, em primeiro lugar!”

 

O pastor Breeden afirma que em um determinado ponto de sua jornada de fé, se afastou do cristianismo, quando percebeu que a evolução e a Bíblia estavam em desacordo. No entanto, o Espírito Santo o “chamou de volta” quando percebeu que isso “mina a fé”.

 

Para ele, que mantém um site defendendo a interpretação literal do relato da criação bíblica, é fundamental que as igrejas do século 21 não neguem séculos de tradição da fé cristã.
“Já nos dias de Darwin, haviam pastores europeus que defendiam não haver contradição entre evolução e o Gênesis. O resultado disso é que a Europa tornou-se um deserto espiritual onde o cristianismo está ameaçado”, continuou.

 

“Precisamente por isso apelamos que as igrejas tomem uma posição em favor da autoridade final da Bíblia e da veracidade histórica do Gênesis, celebrando o Domingo da Criação e não um domingo da Evolução”.

 

Com informações Prophecy News