Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/11/2014

Chocolate vai acabar em todo o mundo, alertam maiores fabricantes do mundo

unnamedDuas das maiores fabricantes de chocolate mundo apresentaram dados que podem significar uma notícia assustadora para todo o mundo: o chocolate pode acabar. Sim, sumir, se extinguir. Nesta terça-feira (18), a Mars, que produz chocolates como M&Ms e Snickers, e a Inc. e Barry Callebaut, duas gigantes na fabricação de chocolates revelaram dados que embasam a declaração.

 

As empresas informaram que, como as pessoas estão comendo chocolate demais, o produto vai acabar sumindo do mundo. De acordo com elas, os agricultores produzem menos cacau do que o mundo consome, o que pode causar um déficit na quantidade de chocolate no mundo.

 

De acordo com pesquisa divulgada no Estadão, no ano passado o mundo consumiu aproximadamente 70 mil toneladas métricas de cacau a mais do que o volume produzido. A previsão é que em 2020 esse déficit chegue a 2 milhões de toneladas métricas.

Um dos maiores problemas para a baixa produção de cacau é ainda o clima seco na África Ocidental, em especial em locais como Costa do Marfim e Gana, onde são produzidos mais de 70% de cacau do mundo inteiro. Isso faz com que a produção seja menos intensa.unnamed (2)

Outro fator que pesa para a produção é a praga decorrente de um fungo chamado Moniliophthora roreri. Segundo a Organização Internacional do Cacau, a praga eliminou de 30% a 40% da produção global de cacau. Com tantas perdas, muitos agricultores decidiram apostar na produção de milho, que é mais rentável.

 

Chineses e europeus estão consumindo chocolate demais

 

Outro fator que está reduzindo a quantidade de chocolate no mundo é o alto consumo por parte dos chineses e europeus. A cada ano, o país compra mais chocolate, mas seu consumo ainda chega a 5% do que a Europa ocidental consome.unnamed (1)

 

O problema maior é que grande parte destes chocolates são amargos e, quanto mais amargo é o chocolate, mais cacau ele tem na sua composição. Por exemplo: uma barra de chocolate vendidas nos supermercados possuem apenas 10% de cacau, enquanto as barras de chocolate amargo costumam conter até 70% de cacau na sua composição.

 

Por todas essas razões, o preço do cacau aumentou mais de 60% desde 2012 – ano em que as pessoas passaram a consumir mais chocolate do que o mundo inteiro tem capacidade de produzir. Sendo assim, os fabricantes fizeram reajuste de preço nos seus produtos.

 

Para tentar amenizar o problema, um grupo de pesquisa agronômica da África Central está desenvolvendo árvores que têm a capacidade de produzir até sete vezes mais de cacau do que as plantas já existentes.

 

Outra tentativa é a produção maior de chocolate branco – que usa apenas a manteiga do cacau na sua confecção – mas com menor quantidade da essência presente na massa base do chocolate. Durante o processo, o doce perderia um pouco do sabor, ficando cada vez mais fraco.

 

Correio