Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/03/2018

Com abordagem artística, convivência no trânsito será tema de festival estudantil em Feira

Cerca de mil estudantes do Ensino Fundamental I, do 1º ao 5º ano, terão a oportunidade de produzir trabalhos diversos nas modalidades de teatro, poesia, danças, música, texto, mural e até maquete sobre a convivência no trânsito. A proposta é do Festival Estudantil Temático de Trânsito – FETRAN, que será desenvolvido em Feira de Santana através da parceria entre a Polícia Rodoviária Federal e Secretaria Municipal de Educação, a partir do mês de julho.

 

Para discutir o plano de ação visando à realização do evento, o Grupo de Educação para o Trânsito da PRF na Bahia apresentou detalhes do projeto aos técnicos da Secretaria de Educação, na manhã de terça-feira, 13. Durante o encontro foi assinado o termo de adesão ao projeto, que contará com a participação de três escolas municipais: Maria Antônia da Costa (Santa Mônica), Otaviano Ferreira Campos (Novo Horizonte), Antônio Alves Lopes (Viveiros) e Escola da Amizade (Limoeiro).

 

Criado em 2004 e desenvolvido em diversas regiões do Brasil, o Festival Estudantil Temático de Trânsito é um projeto de educação para o trânsito que utiliza atividades pedagógicas e inclui transversalmente a temática do trânsito no cotidiano escolar, sempre procurando valorizar a diversidade escolar e cultural.

 

“Essa é uma proposta importante, principalmente para a nossa escola que fica às margens de uma rodovia. Acredito que as ações vão ajudar a prevenir acidentes e conscientizar não só os alunos, como também seus pais e responsáveis, uma vez que os estudantes acabam se tornando multiplicadores”, destaca a professora Bárbara Barretos, gestora da Escola Municipal Antônio Alves Lopes.

“Escolhemos envolver os estudantes do Ensino Fundamental por que é nesta fase que as crianças estão formando sua personalidade; então é mais fácil apresentar valores, uma vez que suas ideologias ainda não estão tão solidificadas. É o momento de construção da personalidade e de entender como as noções de trânsito irão refletir não apenas na vida presente dos alunos, mas também no futuro, quando já serão motoristas”, explica a policial Michelle Alencar (foto).

 

Secom