Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 10/09/2014

Convenção das Assembleias de Deus organiza coleta de assinaturas para criar partido político próprio

download (1)Ciente do potencial de seu capital político, a Assembleia de Deus está articulando a criação de um partido próprio para abrigar os líderes evangélicos que já tenham carreira política e os que aspirem mandatos eletivos.

 

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) é quem está à frente do projeto, a fim de dar legitimidade e união às diversas correntes políticas que existem nos variados ministérios assembleianos.

 

O processo de coleta de assinaturas já foi iniciado, e o responsável por conduzir o projeto é o pastor Lélis Marinho, coordenador do Conselho Político da CGADB.

 

“Existe um pensamento em nos concentrarmos em um único partido, para que a nossa ação seja mais direcionada e eficaz. Como a lei eleitoral cria restrições para a migração de partido, as assinaturas para se criar uma nova sigla estão sendo providenciadas”, disse Marinho, de acordo com informações do jornal Valor Econômico.

 

O pastor destacou ainda que apesar de Marina Silva (PSB) ser uma missionária assembleiana, ela não acatou prontamente as demandas apresentadas pela CGADB, dando mostras de que valorizará o cumprimento de propostas contidas em seu programa de governo.

 

“Vejo a ascensão de Marina como um avanço. É uma possibilidade de diálogo com o governo dentro de outro ponto de vista, mas com ela ainda estamos estabelecendo um diálogo. É curioso, mas temos que buscar interlocução com uma de nossas seguidoras. Ela não assumiu compromissos”, pontuou Marinho, antes de ponderar que muito provavelmente a candidata terá o voto dos fiéis da denominação: “A tendência do voto assembleano ir para ela é completamente natural. Somos a favor do Estado laico, mas um governante precisa ser alguém que tema a Deus. A falta de crença faz toda a diferença”, concluiu o pastor.

 

Em todo o Brasil, a Assembleia de Deus congrega diversos pastores que tentam a carreira política e muitos acabam eleitos, como é o caso do pastores Marco Feliciano (PSC-SP) e Eurico (PSB-PE), que são os sacerdotes pentecostais eleitos deputados federais que tivera maior repercussão na mídia no último ano.

 

Gospel +