Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 18/12/2014

Crianças de 9 religiões falam o que Deus representa para elas

22A Folha de São Paulo ouviu crianças de 9 religiões diferentes para mostrar o que os pequenos pensam sobre Deus e quais são os seus maiores pedidos ao ser divino.

 

As crianças ouvidas professam as crenças: budismo, candomblé, judaísmo, rastafári, islamismo, cristianismo protestante, catolicismo, união do vegetal e espiritismo.

 

Meninos e meninas entre 6 e 11 anos deram as respostas mais diferentes sobre suas crenças, mostrando formas diferentes de acreditar em um Deus quer seja chamado de Alá ou de Oxum. Além de explicarem o que pensam sobre Deus as nove crianças também fizeram desenhos que expressam suas visões sobre o tema.

 

Para Ariom Scheffler, 11 anos, budista, Deus não é um ser físico. “Não tem um Deus físico, Deus é tudo e tudo é Deus”, disse. “Ele é feito de luz. O arco-íris, no budismo, representa uma pessoa com coração iluminado”.

 

Manuella Araújo da Costa, 10 anos, candomblé, afirmou que para ela Deus é Oxum. “Oxum é a santa que me protege. Ela tá no mato, para curtir a vida”. A pequena ainda relatou um caso de intolerância religiosa que sofreu na escola: “Uma professora uma vez contou que um lobo ia na porta da criança que não é batizada [como cristã]. Fiquei com medo, chorando”.

 

A reportagem publicada na revista Serafina também mostra o depoimento de Luke Saul Jospa, 9 anos, judeu, que deu sua visão sobre Deus de uma forma bem diferente.
“Para nós não tem inferno, só céu. Assim: vamos fingir que você está no teatro. Se foi uma boa pessoa, ficaria na frente, mais perto de Deus. Se foi uma ruim pessoa, ficaria lá atrás”.

 

A pequena Núbia Selassie Cestaria Granello, 6 anos, é da religião rastafári e fala no deus Jah se referindo à ele como sendo as batidas de seu coração. “Ele e o meu coração e fica batendo em todos os momentos. Peço a Jah que o mundo fique bem limpinho”, disse Núbia.

 

Devota da religião União do Vegetal (dissidência do Santo Daime), Darah Cally Patrício, 8 anos, diz que é legal beber ayahuasca e que a bebida dá vontade de dar risada. “É muito legal beber. Tem gente que vomita, mas eu não sinto medo, sinto amor. E vontade de rir muito! Já vi árvores falando comigo”.

 

O muçulmano Mohamed Hussein Abid Ali, 8 anos, deu uma resposta direta sobre o que Deus representa para ele. “Deus é tudo para mim”. O pedido mais comum do garoto nos últimos dias é para que chova.

 

Pietra Hanna Castanho, 10 anos, é evangélica e definiu Deus como alguém que a ama e a ilumina. “Deus nos ama e nos ilumina. Ele me ajuda quando alguém briga comigo”, afirmou.
Frequentadora do espiritismo, Clara Veiga Carvalho, 10 anos, compara a reencarnação com a metamorfose da borboleta. “Deus criou a borboleta. Ela é bonita e feliz. Começa como se fosse um bicho horroroso, gosmento, e vira uma borboleta linda. É como o espírito que reencarna: você vai crescendo e evoluindo”.

 

A católica Beatriz Dias Samuel, 8 anos, diz que “Deus estão no meio do coração de todo mundo” e que para ela, Ele é um ser com cabelo longo porque “no antigo tempo não cortavam cabelo”.

 

Com Informações Folha de São Paulo.