Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 24/12/2016

Cristãos são acusados de ‘feitiçaria’ após orarem por mulher possuída, no Nepal

01Um tribunal do Nepal condenou quatro cristãos como culpados por “violência” e “feitiçaria” contra uma mulher que estava gravemente sofrendo de doença mental. Eles procuraram curar ela por meio da oração. Embora a mulher tenha testemunhado no tribunal em favor dos cristãos, dizendo que ela estava melhor agora, os quatro foram condenados a cinco anos de prisão.

 

Um quinto cristão, Rupa Thapa, foi considerado não culpado e libertado após a audiência no Tribunal Distrital de Salyan – um distrito no oeste do Nepal. Os cinco estavam presos desde julho por bruxaria e violência contra a mulher, apesar de seu marido também dizer que eles são inocentes.

 

Ruplal Pariyar e sua esposa Ganga, Lali Pun, Bimkali Budha e Rupa Thapa foram presos pela polícia no dia 21 de julho. Ao lado dos outros acusados e em cada uma das audiências do tribunal, eles foram questionados sobre tentar converter a suposta vítima.

 

As prisões aconteceram após um incidente ocorrido no dia 6 de junho envolvendo Seti Pariyar que foi levada por seu sogro em uma igreja local para receber oração, pois ela estava aparentemente “possuída por demônios”.

 

Testemunhas relatam que Pariyar deixou a igreja antes do culto de oração ter terminado. Mais tarde, ela foi encontrada gritando e se mutilando em uma floresta próxima. Ela foi levada de volta para sua casa.

 

A queixa

 

Mais de um mês depois, um empresário local contou o incidente aos meios de comunicação locais e, com base nesse relatório da mídia, Bhisma Pariyar entrou com uma queixa contra os cinco que foram presos.

 

O reverendo Mukunda Sharma, membro do Nepal Religious Liberty Forum (Fórum de liberdade religiosa do Nepal, em tradução livre), ouviu falar do caso e visitou Salyan em outubro. Para ajudá-lo a formar um apelo, ele conheceu os cinco cristãos presos, bem como advogados locais e outros líderes cristãos. Uma equipe foi criada para defender a libertação dos prisioneiros com autoridades governamentais distritais. Os burocratas e políticos locais asseguraram-lhes que os cinco seriam libertados.

 

Enquanto isso, a suposta vítima, Seti Pariyar, e seu marido testemunharam no tribunal distrital para dizer que os cinco não agiram de forma desumana contra ela. Ela, mais tarde, testemunhou na igreja dizendo que estava completamente curada por causa da oração.

 

Nova lei

 

As sentenças seguem o fato de que no ano passado o Nepal introduziu uma nova Constituição que proíbe qualquer coisa que se perceba como proselitismo ou evangelismo. No entanto, o primeiro caso sobre liberdade de religião sob esta nova Constituição foi abandonado no início deste mês. Tinha sido contra oito cristãos que distribuíram um panfleto sobre Jesus em uma escola cristã, após o trauma do terremoto do Nepal.

 

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE WORLD WATCH MONITOR