Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 13/06/2018

Descoberta de escultura pode comprovar a existência de reis bíblicos do Antigo Testamento

A escultura da cabeça de um rei com 5 centímetros de altura, datada de quase 3 mil anos, desencadeou um mistério moderno. Embora os pesquisadores tenham a confirmação do período bíblico, eles ainda tentam descobrir em qual rei o monumento foi inspirado.

 

A escultura é um exemplo raro da arte de Israel no século 9 a.C. — um período associado a reis bíblicos. Requintadamente preservado, o monumento apresenta um pouco de barba perdida e uma coroa de ouro representando a realeza.

 

Arqueólogos descobriram a figura em 2017, durante escavações em um local chamado Abel-Bete-Maaca, localizado ao sul da fronteira de Israel com o Líbano, perto da moderna cidade de Metula.

 

O local deu lugar a uma aldeia palestina chamada Abil al-Qamh, que tem o nome derivado da cidade mencionada no livro dos Reis, de acordo com arqueólogos do século 19.

 

Durante o século 9 a.C., a antiga cidade estava situada entre três potências regionais: o reino aramaico em Damasco, a cidade fenícia de Tiro e o reino israelita, com sua capital em Samaria. O trecho de 1 Reis 15:20 menciona Abel-Bete-Maaca em uma lista de cidades atacadas pelo rei de Arameia, Ben-Hadade, em uma campanha contra o reino de Israel.

 

“Esta localização é muito importante porque sugere que o local pode ter mudado de mãos entre essas organizações, mais provavelmente entre Aram-Damasco e Israel”, disse a arqueóloga da Universidade Hebraica, Naama Yahalom-Mack, que liderou a escavação em conjunto com a Universidade Azusa Pacific, da Califórnia.

 

Em um movimento raro, arqueólogos e curadores do Museu de Israel em Jerusalém se apressaram em colocar a peça em exibição pública. Um relatório detalhado será publicado na edição de junho da revista Near Eastern Archaeology.

 

Eran Arie, curador da Idade do Ferro e Arqueologia Persa do Museu de Israel, disse que a descoberta é única. “Na Idade do Ferro, se existe alguma arte figurativa — e em grande parte não existe — é de muito baixa qualidade. E isso é de excelente qualidade”, comenta.

 

Como a datação através do carbono 14 não pode fornecer uma data mais exata de criação da estátua, a não seu século, o campo de candidatos em potencial é grande. Yahalom-Mack afirma que ela pode representar os reis bíblicos Ben-Hadade ou Hazael de Damasco, Acabe ou Jeú de Israel, ou Etbaal de Tiro.

 

“Estamos apenas adivinhando aqui, é como um jogo. É como dizer um ‘olá’ ao passado, mas não sabemos mais nada sobre isso”, declarou Yahalom-Mack.

 

Enquanto os estudiosos discutem se a cabeça era uma peça independente ou parte de uma estátua maior, a equipe da Universidade Hebraica deve reiniciar a escavação neste mês no mesmo local.

 

 

Fonte: Guia-me