Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 30/06/2015

Desmentida por Silas Malafaia na Câmara, deputada petista abandona audiência; Assista

deputada-erica-kokay-e1435578926989O debate entre o pastor Silas Malafaia e a deputada Érica Kokay (PT-DF) durante a audiência pública da Câmara dos Deputados para a discussão do projeto apelidado de Estatuto da Família vem repercutindo nas redes sociais.

 

A parlamentar abandonou a sessão após ser desmentida publicamente pelo pastor e tentar calá-lo. Como não obteve sucesso, Kokay deixou a reunião sem terminar de ouvir a tréplica do pastor.

 

O embate começou quando Malafaia fez menção ao projeto de lei 5002/13, que prevê o fornecimento por parte do Estado de cirurgias de mudança de sexo para crianças a partir de 12 anos, com o agravante de que, se os pais não estiverem de acordo, a decisão fica por conta da própria criança, em procedimento “sumaríssimo” através da Justiça.

 

O pastor, durante sua fala, afirmou que o projeto representava a “interferência do Estado” nas famílias, o que seria um excesso e uma afronta à autoridade dos pais, prevista na Constituição.

 

A deputada Kokay, que é coautora do projeto ao lado do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) – que faltou à sessão -, interviu na fala de Malafaia e tentou negar o teor do projeto, alegando que existem procedimentos do Ministério da Saúde para garantir que a cirurgia de mudança de sexo seja acompanhada de um aval psicológico, pois é irreversível.

 

Malafaia, em sua tréplica, destacou artigos do projeto de lei, contradizendo a deputada, que tentou fazer o pastor ficar quieto à força: “Para tudo, para tudo”, berrou Kokay. Sob o protesto dos espectadores da audiência, o presidente da sessão desautorizou Kokay a falar, dizendo que ela deveria respeitar a fala do pastor.

 

Contrariada, a parlamentar petista pegou sua bolsa e levantou-se, indo embora. Próxima à ponta da bancada, foi impedida pelo deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que fazia questão que a colega escutasse o que Malafaia tinha a dizer: “Não saio, você vai ficar. Vai ficar”, dizia Bolsonaro.