Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 05/01/2018

Devido a poucas chuvas, Prefeitura intensifica abastecimento de água na zona rural

As chuvas abaixo da média para o período complicam ainda mais o abastecimento de água na zona rural de Feira de Santana. E economizar é o verbo a ser conjugado todos os dias por moradores dos povoados abastecidos pelos caminhões-pipa.

 

Os povoados continuam recebendo periodicamente as visitas dos caminhões-pipa da frota própria do município ou aqueles cujos donos participaram de licitação pública. E a água colocada nos reservatórios deve ser compartilhada entre familiares e vizinhos.

 

Os nove caminhões – quatro próprios e o restante prestadores de serviço, fazem, periodicamente, o abastecimento das cisternas dos povoados dos oito distritos. O Exército usa dois caminhões neste trabalho.

 

E a demanda é crescente, de acordo com a Secretaria de Agricultura. “O problema é que as chuvas esperadas para o período, como vem acontecendo há alguns anos, estão abaixo do esperado, e com isso não dá para acumular água”, explica o secretário Joedilson Freitas.

 

Daí a necessidade de se economizar e repartir a água à disposição nas cisternas. “E não apenas isso: as pessoas devem aprender a usar bem a água potável, principalmente para as suas necessidades pessoais porque a quantidade de famílias a serem abastecidas é muito grande”.

 

A quantidade diária de viagens feitas pelos caminhões à zona rural depende da distância a ser percorrida. Quando as localidades são mais próximas, explica Joedilson Freitas, este número chega a três potr dia, contando-se com os pipas do Exército. Ou duas, quando as viagens são mais longas.