Coluna Especial

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 22/01/2016

Devo sempre dar dinheiro a quem pede?

1976343595-morador-de-ruaO homem, com aparência além de sua idade, parece amassado e deprimido sentado na calçada. Seu estado diz tudo: “Não tenho onde morar e o que comer, por favor, ajude!”. Você está indo para a escola ou para casa, e seu ônibus chega em dez minutos. O que fazer?

 

Jesus conta-nos a história do Bom Samaritano. Esse foi um claro caso necessidade – um judeu ferido pelos ladrões é ajudado por um homem samaritano que mostrou preocupação e cuidado. “Mas eu não sou nenhum tolo, e eu tenho algumas perguntas “, você pode estar pensando. Entre elas:

 

E se essa pessoa quer dinheiro para drogas ilícitas?
Posso realmente fazer alguma coisa útil para ajudá-lo se eu vê-lo uma única vez?
Devo tentar encontrar acomodação para eles?
O que eu posso realmente fazer para ser parte de uma solução de longo prazo?

 

Durante muito tempo, a minha resposta normal era evitar pessoas que via nas ruas, especialmente se estava com pressa ou estava com dinheiro contado. Mais recentemente essa atitude mudou e me mentenho atento para as oportunidades de conversar com as pessoas na rua e oferecer ajuda onde é possível. É o que Jesus faria.

 

Aqui está uma lista de coisas úteis para fazer quando você vê alguém na rua. No entanto, este conselho é apenas para pessoas que têm idade e maturidade suficientes. Se você é menor de 18 anos, provavelmente é melhor esperar até que você tenha uma pessoa mais velha com você antes de se aproximar ninguém.

 

Parar e ouvir

 

A principal coisa que o bom samaritano fez foi parar e oferecer a ajuda que podia. Uma vez pensei que não deveria parar porque eu não saberia como ajudar. Mas nós não sabemos nada sobre uma pessoa até que nos damos ao trabalho de falar com ela. Normalmente as pessoas na rua ficam muito felizes em compartilhar um pouco de sua história. Gastar o tempo para falar com alguém para descobrir a sua situação e mostrar que você se importa é valioso em si.

 

Proporcionar o que puder

 

Em alguns casos, as necessidades da pessoa podem ser complexas, alguns enfrentam problemas de saúde ou problemas mentais vício (jogo, álcool ou drogas), mas é importante não prejulgar. Há maneiras de fornecer assistência. Por exemplo, às vezes você pode pagar uma refeição, talvez dar um novo calçado, um casaco. Isso pode demandar um pouco mais de tempo do seu dia, mas também pode ser uma oportunidade para iniciar uma conversa e aprender mais sobre a situação. Você não deve se sentir pressionado a fornecer o que não é possível pra você. Por exemplo, há uma necessidade real de alojamento seguro para as pessoas na rua, mas nem sempre é sábio você oferecer se oferecer para fornecer, especialmente se a pessoa tem menos de 18 anos de idade. Não há problema (e é importante) que você mantenha limites fortes. Por exemplo, você não deve revelar informações de contato pessoal.

 

Se você não pode ajudar, indique quem o possa

 

Existem organizações que são muitas vezes a melhor opção para atender a uma gama de necessidades. Muitas pessoas na rua estão cientes desses serviços e geralmente são capazes de acessá-los a si mesmos, mas é útil estar ciente delas em caso de necessidade. Talvez sua igreja forneça algo parecido com isto também, é mais uma opção útil de indicação.

 

Seja um voluntário

 

É útil se informar sobre os problemas que as pessoas enfrentam nas ruas. Mas a melhor maneira de se informar é apoiar financeiramente e com voluntariado as organizações que ajudam os necessitados. Estar envolvido como voluntário te leva a conhecer pessoalmente as pessoas em necessidade em um ambiente seguro com outros voluntários, e onde é possível fazer uma diferença positiva através do fornecimento de uma refeição ou a prática de atividades recreativas.

 

A generosidade é parte da resposta do cristão

 

O tema subjacente a tudo isso é a generosidade. A nossa generosidade é uma resposta à graça que Deus tem por nós. O Bom Samaritano foi realmente preocupado com o bem-estar de seu próximo em necessidade, ele ajudou o homem se recuperar de seus ferimentos, alimentou-o e alojou-o às suas próprias custas. Ações de misericórdia são oportunidades nas quais nós podemos mudar nosso ponto de vista dos pobres, não como um problema, mas como nossos vizinhos que têm nomes, famílias e vida, mas que estão desorganizados. As atitudes que vão ajudar as pessoas a saírem da pobreza e falta de moradia podem levar tempo, recursos e paciência consideráveis. Isso significa que como cristãos temos de comprometer-nos a um real esforço.
GUIAME