Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/05/2017

“É tempo de orar como nunca pelo Brasil”, diz pastor sobre escândalos de corrupção

Um pedido de impeachment contra o presidente Michel Temer (PMDB) foi protocolado na manhã desta quinta-feira (18) pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

 

O pedido tem como base as informações divulgadas ontem pelo jornal O Globo sobre a delação premiada feita por sete executivos do grupo JBS. Segundo o dono da JBS, Joesley Batista, Temer teria dado aval ao pagamento de R$ 5 milhões pelo silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso pela Operação Lava Jato.

 

“Tem que manter isso aí”, teria dito Temer ao tomar conhecimento dos pagamentos feitos a Cunha, segundo o jornal.

 

Diante da inconstância política no Brasil, alguns pastores expressaram sua indignação diante de mais um escândalo de corrupção. “Deus, tem misericórdia deste povo sofrido que está pagando um preço altíssimo”, disse Willy Garcia, pastor na Igreja Apostólica Vida Nova.

 

“Passa logo este Brasil a limpo, não dá mais para aguentar tanta corrupção”, ele continuou, fazendo um apelo aos cristãos brasileiros: “Queridos irmãos, é tempo de orar como nunca pelo Brasil”.

 

A cantora Nívea Soares também fez um apelo de oração diante do momento atual do País/ “A ferida é grande e profunda. São séculos de corrupção enraizados na cultura e na mente de brasileiros e políticos. A vergonha é grande, mas o Senhor é poderoso para mudar nossa história e sarar a ferida”, disse ela.

 

Pedido de Impeachment

 

Na noite de ontem, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou um pedido de impeachment do presidente que segue para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em seguida, o deputado e terceiro secretário da Mesa, João Henrique Caldas (PSB-AL), apresentou uma denúncia contra Temer por crime de responsabilidade.

 

O pedido feito por Randolfe Rodrigues foi protocolado junto à Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é quem irá avaliar se dá prosseguimento ou não à abertura do processo de impeachment contra Temer.

 

Aécio Neves

 

Além do pedido de impeachment contra Temer, o parlamentar da Rede anunciou ainda que vai fazer uma representação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Conselho de Ética do Senado.

 

Segundo denúncias, Aécio teria pedido e recebido aproximadamente R$ 2 milhões de executivos da JBS sob o pretexto de pagar os custos de sua defesa na Operação Lava Jato.

 

Nesta quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal determinou o afastamento de Aécio de seu mandato. A Procuradoria-Geral da República também pediu a prisão de Aécio, mas o pedido ainda deverá ser analisado pelo plenário do STF. Caso sua prisão seja decidida pela corte, o pedido ainda precisa ser submetido à aprovação do Senado.

 

GUIAME