Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 10/12/2014

Edvaldo continua inconformado com emenda rejeitada

image (2)Em discurso na Câmara Municipal, na manhã desta terça-feira (09), o vereador Edvaldo Lima (PP) voltou a questionar a rejeição da sua emenda à Lei Orçamentária Anual (LOA), que visava transferir R$ 4 milhões da Secretaria Municipal de Comunicação Social (Secom) para a Secretaria Municipal de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural (Seagri).

 

De acordo com a lei que estima a receita e fixa a despesa do município de Feira de Santana para o exercício financeiro de 2015, a Secom terá recursos na ordem de mais de R$ 13 milhões e a Seagri mais de R$ 4 milhões.

 

“Este vereador, preocupado com a zona rural, fez uma emenda para que R$ 4 milhões pudessem chegar à secretaria de Agricultura do Município, para que o secretário desta pasta tivesse condições de atender melhor o homem do campo. Infelizmente, o Governo do Município mandou derrubar ainda na Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização, e a emenda nem na plenária chegou”, queixou-se.

 

Na sequência, Edvaldo disse que, no dia 11 de junho deste ano, encaminhou também uma indicação ao prefeito José Ronaldo de Carvalho solicitando a perfuração de poços artesianos nas localidades da zona rural de Feira de Santana que sofrem com a escassez de água.

 

Segundo o vereador, hoje, em entrevista à Rádio Subaé, o secretário de Agricultura, Recursos Hídricos e Desenvolvimento Rural, Ozeny Moraes, informou que esteve em salvador, na última quinta-feira, a fim de tratar de perfuração de poços artesianos na zona rural do município, visando beneficiar, principalmente os distritos de Jaguara e Bonfim de Feira, que vivem o drama da falta de água.

 

“O Governo que mandou derrubar a emenda do vereador Edvaldo Lima, agora, quer fazer perfuração de poços. O Governo quer fazer perfuração de poços apenas com R$ 4 milhões, onde é que ele vai conseguir?”, questionou o edil, afirmando que os recursos previstos na LOA para a Seagri, no exercício de 2015, são insuficientes para promover mudanças significativas na zona rural.

 

Em aparte, o líder do Governo na Câmara, Carlito do Peixe (DEM), disse que a emenda do vereador Edvaldo foi rejeitada porque não continha rubrica – nível de detalhamento, visando à precisão, na especificação das despesas e dos recursos financeiros.

 

“Não foi o prefeito que mandou derrotar o senhor. O prefeito não é um homem disso, Vossa Excelência. O prefeito é um homem cuidadoso com a administração pública, é um homem que trabalha com os pés no chão, trabalha sob orientação dos seus técnicos da pasta”, afirmou Carlito.