Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 13/08/2015

Em 12 anos, 1.213 exames positivos de aids no CTA

Teste-de-AIDS-Foto-ACM-3_1O Programa Municipal de DST/HIV/aids comemorou, no dia 7 desse mês de agosto, os 12 anos de implantação do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), além do laboratório e do Serviço Assistência Especializada (SAE). Antes, eram realizados atendimentos a todas as doenças sexualmente transmissíveis – exceto HIV/aids.

 
Durante esse período já foram realizados 45.820 testes para diagnóstico da aids e da sífilis. Desse total, 1.213 exames deram positivos para a aids, sendo 711 homens diagnosticados com a doença e 502 mulheres. Os mais acometidos foram pessoas com idades entre os 19 a 34 anos.

 
Todos foram submetidos ao exame por demanda espontânea. “Sabemos que há muitas pessoas convivendo com o vírus e não sabem. Por isso, é importante que compareçam ao serviço, sobretudo, aquelas que vivem em situação de vulnerabilidade social para realização do exame, que é laboratorial”, afirma a coordenadora do programa, Vanessa Sampaio.

 

 
Segundo ela, sendo assim, caso o diagnóstico seja positivo, é possível dar início ao tratamento de imediato o que vai resultar na melhor qualidade e expectativa de vida. “Também são feitas ações em parcerias com organizações não governamentais para identificar as pessoas em situação de vulnerabilidade e encaminhá-las ao serviço. Aliado a isso, é feito um trabalho educativo”, ressaltou.
Os serviços disponibilizados no Programa Municipal – implantado em 1999 por idealização da atual secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, quando eram realizadas apenas atividades educativas – vão desde a prevenção, com a promoção de campanhas educativas, ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos casos.
POSITIVOS

 

O Centro de Testagem e Aconselhamento é a porta de entrada. É o momento que é feito o pré-teste, através do aconselhamento. Depois a pessoa é submetida à coleta de sangue. O resultado é dado em outro aconselhamento. Sendo negativo, essa pessoa é recomendada a retornar com três meses e depois um ano.

 

 
Contudo, diz Vanessa Sampaio, caso o resultado seja positivo o usuário será encaminhado para o Serviço de Assistência Especializado (SAE), onde são atendidos todos os pacientes que convivem com o vírus do HIV. Além da medicação, recebem assistência médica, de enfermagem, consultas com infectologista, psicólogo, odontólogo, acompanhamento com assistente social, fisioterapeuta, além da realização do pré-natal em gestantes com o HIV.