Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 08/09/2014

Em duelo de silêncio e pouco futebol, Esquadrão e Coritiba não marcam e seguem no Z-4

RTEmagicC_bAHIA077.jpgA torcida não pôde comparecer à Arena Fonte Nova, mas não houve muitos motivos para lamentar a ausência. O Bahia recebeu o Coritiba, cercado por arquibancadas vazias, mas a noite de domingo (7) não foi das melhores para nenhum dos times, que jogaram mal, e a partida da 19ª rodada do Brasileirão terminou com o placar zerado. O resultado, além de não ser bom para nenhum dos lados, aumenta a coleção de empates das duas equipes, que estão entre as que mais igualaram placares no campeonato.

 

Com apenas um pontinho para cada lado, a zona do rebaixamento continua sendo a morada de Bahia e Coritiba. O Esquadrão chega ao quinto jogo consecutivo sem vencer, ao oitavo empate na competição e com 17 pontos segue na mesma 19ª posição, penúltimo da tabela. Também com 17 pontos, o Coxa não muda de lugar e permanece em 18º.

 

Na 20ª rodada, abertura do returno, o Esquadrão tem desafio complicado pela frente, enfrenta o líder do isolado do campeonato fora de casa. O duelo com o Cruzeiro, no Mineirão, acontece na quinta-feira (11), a partir das 20h30. Na mesma rodada o Coritiba volta a jogar em casa e recebe a Chapecoense, no Couto Pereira, a partir das 21h de quarta-feira (10).

 

Bola rolando – Depois do apito inicial na Arena Fonte, o Bahia deu indícios de que sairia para dar as cartas do jogo e mandou perigo para o gol de Vanderlei pela primeira vez aos sete minutos. Léo Gago pegou de primeira na sobra de bola fora da área do Coxa, mandou o chute forte e a bola passou um pouco acima da meta. O ímpeto de mandante tricolor não durou muito e o Coritiba adiantou a marcação para segurar o Bahia e tentar imprimir seu jogo.

 

Se aproveitando das bobeiras no setor defensivo do Bahia, o Coxa conseguiu emplacar dois bons ataques ainda nos primeiros minutos do jogo. Primeiro, aos nove minutos, Pará deu vacilo na saída de bola, Élber roubou, avançou para a área, passou para Zé Love e ele chutou na rede pelo lado de fora. Logo depois, aos 11′, foi a vez de Carlinhos chegar pela esquerda e cruzar para Zé Love. Ele subiu livre no cabeceio e quase marcou, mas a bola foi para fora.

 

O jogo esfriou na deficiência ofensiva mostrada pelas duas equipes, mas voltou a esquentar em um lance curioso aos 33 minutos. Zé Love disparou pela esquerda e foi derrubado por Lucas Fonseca perto da linha da área do Bahia. O árbitro Francisco Carlos apitou a penalidade, mas depois de muita reclamação dos jogadores do Bahia ele resolveu consultar os auxiliares e acabou cancelando o pênalti e sinalizando a falta. Passada a confusão, a partida seguiu concentrada entre as zonas intermediárias, sem boas criações de ataque até o intervalo.

 

Na volta para o segundo tempo, mesmo com o Bahia modificado, o panorama da partida não mudou muito. O Coritiba seguia melhor, ordenando as ainda escassas chances de gol do duelo. Aos oito minutos o Coxa teve boa chance de marcar. Martinuccio pegou a sobra depois do desvio de Marcelo Lomba, mandou o chute de cara com o gol do Bahia, mas Lucas Fonseca salvou tirando com o pé.

 

O Bahia resolveu usar a tática de adiantar sua marcação e dessa forma obrigou o Coxa a recuar, equilibrando a partida. O Tricolor passou, então, a mostrar mais presença ofensiva na partida, mas ainda não era o suficiente para ameaçar a igualdade no placar. Sem maiores mudanças de postura, o empate persistiu até o final da partida.

 

Bahia