Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 05/04/2018

Enfermeiros do Hospital da Mulher capacitados sobre prevenção de lesões de pele

Desenvolver ações para prevenção de lesões de pele, realizar notificação, avaliação e orientação quando houver caso. Esse foi o objetivo apresentado pela Comissão de Cuidados de Pele do Hospital da Mulher (COMPEL) para a realização do 1º workshop nesta área de saúde.

 

Realizado no auditório do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, o evento promoveu para a equipe de enfermagem, principalmente a assistencial – responsável por cuidar diretamente ao paciente – uma espécie de capacitação acerca da prevenção e tratamento de lesões de pele em bebês e/ou parturientes.

 

Na atividade, realizada no último dia 23, foi destacada a importância da COMPEL, o objetivo e seu funcionamento quando ocorrer algum caso de lesão em pacientes.

 

“O maior objetivo da comissão é prevenir feridas. Trabalhamos, na verdade, com prevenção. Quando ocorrem casos de lesões, a gente [comissão] intervém fazendo a avaliação e indicando o produto adequado a ser utilizado”, pontua a enfermeira e responsável da Comissão de Cuidados a Pele, Juliana Rigaud .

 

Composta por 9 enfermeiros, a comissão interfere na qualidade da assistência, fazendo atividades preventivas, pois deve acontecer desde a internação da parturiente ou recém-nascido até a sua alta.

 

Entenda como funciona

 

A comissão funciona da seguinte forma: a enfermeira assistencial identifica a lesão do paciente, sinaliza para COMPEL, um membro da comissão realiza a visita ao paciente preenchendo um ficha para identificar a causa, a lesão é avaliada e o tratamento é indicado.

 

Uma atenção maior deve ser dada para pacientes com risco de lesões, como: recém-nascidos prematuros, pacientes com mobilidade prejudicada, pacientes pós-cesárea, obesas, entre outros.

 

Paciente é acompanhado até a cicatrização

 

De acordo com Rigaud, quando identificada a lesão, o paciente é acompanhado diariamente até o processo de cicatrização ou alta. “Se o paciente receber alta ainda com a lesão prestamos orientações e preparamos um plano de alta para o tratamento daquela lesão. É orientado sobre o local do tratamento e como será feito o curativo”, explica a enfermeira.

 

Além da apresentação e orientações da COMPEL também foi realizado um workshop com a enfermeira Janaína Lassala. A proposta apresentada foi voltada para o tratamento de feridas apresentando produtos específicos adquiridos pelo Hospital da Mulher.

 

Os profissionais da área de saúde acompanharam as características desses produtos para feridas exsudativas (saída de líquidos orgânicos através das paredes e membranas celulares por lesão ou por inflamação), a prática, a técnica da realização do curativo, as funcionalidades e indicações para cada caso.

 

Foram apresentados produtos como o curativo com absorção superior para cicatrização mais rápida, curativo com absorção superior e alívio da dor, curativo de silicone para um ajuste seguro, hidrogel, creme barreira para hidratar a pele seca e ferida.

 

Para uma das enfermeiras da unidade hospitalar, Roberta de Almeida , o treinamento serviu como oportunidade para agregar conhecimento e transformá-lo em uma assistência de qualidade aos pacientes.

 

“Absorvemos vários conhecimentos e práticas novas de curativos a fim de dar uma qualidade de assistência para os nossos pacientes. Realmente, o treinamento é de grande importância, e só agrega para a nossa assistência”.

 

 
Secom