Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/12/2017

Evangélicos e católicos fazem ação conjunta contra a ideologia de gênero

Diferentes comunidades evangélicas e católicas estão unidas em um projeto contra a ideologia de gênero. Chamado de “Movimento Gênesis – Homem e Mulher os Criou”, seu objetivo é reforçar o conceito tradicional de família, formada pelo casamento entre um homem e uma mulher. Mais do que isso, é o projeto de Deus para o desenvolvimento saudável da sociedade e do ser humano.

 

Lançado esta semana em Curitiba, o movimento deseja se espalhar pelo país. Dorgival Pereira, coordenador da Associação das Igrejas Batistas da Grande Curitiba (BGC) e um dos organizadores do movimento, explica: “Queremos fortalecer esse ensino bíblico e mostrar que é esse o projeto que Deus tem para a sociedade: a família como célula principal”.

 

Nas celebrações do domingo (10/12), nas missas e cultos das igrejas participantes, homens estavam vestidos de azul e as mulheres de rosa. Segundo Pereira, a data foi escolhida por ser a celebração do Dia da Bíblia. “Quisemos dar ênfase a esse aspecto de que a família nasceu no coração de Deus. Que é algo bíblico!”, enfatiza, revelando também que na reunião de organização estavam presentes cerca de 30 igrejas católicas e evangélicas. “Isso representa 80% dos cristãos da grande Curitiba”, garante.

 

Eles reúnem instituições como a Convenção Batista Brasileira (CBB), a Associação das Igrejas Batistas da Grande Curitiba (BGC) e o Movimento Ecumênico de Curitiba (MOVEC), tendo o apoio das igrejas Presbiteriana, Luterana, Assembleia de Deus, Sara Nossa Terra, Metodista, Quadrangular e Menonita, além das paróquias da Igreja Católica da Arquidiocese de Curitiba.

 

O arcebispo de Curitiba, dom José Antônio Peruzzo, pediu que padres de sua arquidiocese enfatizassem na homilia do domingo “o valor da família e da comunhão familiar”, assumindo “posições claras em favor do que nossa fé e doutrina eclesial nos ensinam”.

 

O movimento faz questão de salientar que seu objetivo não é ofender ou contra-atacar os ativistas LGBT, nem os favoráveis à ideologia de gênero. O foco é se posicionar e reforçar o conceito bíblico de família. “Nós nos sentimos tristes que esses movimentos queiram induzir e impor que as famílias, e principalmente as crianças, aceitem uma concepção que não está de acordo com a Bíblia. Acreditamos que a ideologia de gênero causa confusão psicológica e sexual na criança”, destaca.

 

Ao longo de todo o ano de 2018, eles desejam realizar eventos similares em outras capitais e distribuir materiais explicativos sobre o tema.

 

Com informações de Sempre Família