Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 27/02/2015

Evangélicos lançam produtos eróticos e oferecem “vibrador líquido” e gel “reparador” da virgindade

joao-ribeiro-lidia-ribeiroUm casal de empresários evangélicos está apostando na fabricação de produtos eróticos para o público cristão de forma ousada: a ideia é oferecer um “vibrador líquido” e um gel que simularia a virgindade.

 

Lídia e João Ribeiro são membros da Congregação Cristã no Brasil e pretendem lançar a linha de produtos eróticos gospel – chamada “In Heaven” (“no céu”, em tradução livre para o português) – na próxima edição da Erótika Fair, a principal feira do mercado, realizada em São Paulo.

 

Segundo o casal, seus produtos são o “novo segredo de um casamento feliz” e podem ajudar marido e mulher em suas aventuras sexuais. “O nosso stand [da feira] será dividido entre céu e inferno”, brinca Ribeiro. Sua empresa vai dividir um espaço com um revendedor de produtos sadomasoquistas inspirados nos livros “50 Tons de Cinza”.

 

Para o empresário, os produtos eróticos voltados ao público evangélico estão “resgatando o romantismo entre os casais apaixonados” e revela que sua linha de produtos conterá prolongadores de ereção, gel adstringente para dar a sensação de castidade, vibrador líquido e um lubrificante que promete aumentar a excitação feminina.

 

“A ideia principal é que o casal se sinta à vontade para comprar e tenha a certeza de que não está sozinho. Não há motivo para vergonha. Somos 52 milhões de evangélicos no Brasil e não tínhamos uma linha específica”, explica Ribeiro, que comanda uma sexshop ao lado da mulher, segundo informações do iG.

 

Vale Tudo?

 

O pastor Renato Vargens, escritor e líder da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói (RJ), publicou em seu blog um artigo sugerindo a reflexão entre casais evangélicos sobre a intimidade e as práticas sexuais.

 

Em seu texto, o pastor diz que “vivemos em dias onde o relativismo se transformou numa das principais características dessa geração”, e que por muitas vezes, sugestões dos ambientes exteriores acabam sendo acatadas entre cristãos sem um maior cuidado em relação ao que a Bíblia diz.

 

“Para nossa tristeza já existem sex shop gospel, troca de casais gospel, além é claro de todo tipo de incentivo a promiscuidade sexual. Se não bastasse isso, tornou-se comum ouvir de pastores que na relação sexual do casal, tudo é lícito e tudo pode. Volta e meia eu ouço alguém dizendo: ‘pare de caretice’; ‘Deus não se importa com o que o casal faz entre quatro paredes, desde que seja feito com amor, tudo é válido’ […] Segundo estes, Deus não está preocupado se o casal é adepto de sadomasoquismo, ou troca de parceiros, ou até mesmo se usa vibradores ou ‘brinquedos eróticos’. Para os liberais da fé e [do] comportamento, o que importa é ser feliz e nada mais. Junta-se a isso que tais pessoas defendem práticas que efetivamente ferem os princípios deixados pelas Escrituras, como por exemplo, o sexo anal”, criticou Vargens.

 

Por fim, o pastor sugere aos casais que busquem a satisfação sexual de forma equilibrada e cuidadosa: “Sexo é santo, maravilhoso e um presente de Deus para os casados. Isto posto, desfrute dele, sem contudo, banalizá-lo ou transformá-lo num comportamento que fere a santidade de Deus. Por fim, lembre-se que do ponto de vista bíblico, liberdade, não significa libertinagem, como também, sexo não aponta para a castração do prazer; antes pelo contrário, sexo no casamento é uma dádiva divina, além é claro de glorificar a Deus”.