Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 03/09/2017

Ex-budista é enterrada viva, mas sobrevive após receber oração

Enquanto a maioria dos cidadãos tailandeses afirma ser budista, grande parte deles também é adepta do animismo – que consiste na prática de rituais de feitiçaria e invocação de espíritos – como herança de seus ancestrais. A magia negra, os rituais e os feitiços também já faziam parte da cultura nacional, muito antes do budismo chegar da Índia, e eles permanecem firmemente enraizados na sociedade tailandesa.

 

Até mesmo os governantes do país se entregaram à prática da feitiçaria, como já havia informado um artigo do jornal ‘The Telegraph’, da Inglaterra em 2008.

 

Apesar dos esforços missionários que datam do século XVI, o cristianismo ainda tem pouco espaço na sociedade tailandesa. Apenas cerca de 1% da população se diz cristã – embora as organizações missionárias que trabalham lá finalmente estejam vendo mais frutos nos anos recentes.

 

A organização missionária ‘Bíblias para o Oriente Médio’ iniciou um trabalho em uma das províncias da Tailândia menos alcançadas pelo Evangelho no ano passado, enviando um pastor e sua esposa para viverem entre e os nativos e se aproximar deles para desenvolver relacionamentos e assim compartilhar a mensagem bíblica. O casal hoje lidera uma sede doméstica da igreja ‘Assembly of Loving God’ (ALG), mas sofre com dificuldades incontestáveis e a resistência dos habitantes locais e, especialmente, de praticantes da magia negra.

 

Um dia, apenas duas semanas atrás, enquanto fazia compras no mercado, Chauchan foi abordada por um casal da igreja ‘ALG’. Ela escutou calmamente o casal apresentar as Boas Novas de Jesus – uma ideia confusa para a maioria dos budistas. Para eles, Jesus foi “apenas um homem bom, de espírito evoluído, que praticou boas ações na terra poderá voltar ainda melhor na próxima reencarnação”. Porém a ideia do Deus criador, que enviou Seu filho para morrer e ressuscitar, para salvar toda a humanidade, soa como algo “irresponsável” para os adeptos do budismo.

 

Apesar da resistência que Chauchan poderia apresentar em algum momento da abordagem, o casal não poupou detalhes ao testemunhar sobre Cristo para ela.

 

“Jesus é o Deus vivo, o Filho do Deus mais alto do universo”, disseram-lhe. “Ele nasceu da virgem Maria como um filho de homem, sem falhas e veio para salvar a humanidade do pecado e da morte. Ele foi crucificado no calvário e morreu como um resgate por nossos pecados, por seus pecados. No terceiro dia, ele se levantou dos mortos como nosso Salvador vivo e Senhor. Se você acreditar em Jesus como seu salvador, você será salva”, assegurou o casal a Chauchan, lhe entregando um exemplar do Novo Testamento para que ela levasse para casa. “Leia esta boa nova sobre Deus para saber mais sobre Jesus”.
Intolerância

 

Chauchan levou seu Novo Testamento para casa. Ela ficou surpresa ao encontrar um feiticeiro-chefe da aldeia à sua espera, com a família reunida. Ela podia facilmente ver o ódio deles em seus rostos e comportamento.

 

O feiticeiro disse a ela que o deus dele lhe revelara que ela havia dado ouvidos aos missionários cristãos e recebido o exemplar do Novo Testamento. Então ele foi dizer ao marido de Chauchan e outros membros da família sobre o ocorrido. Chauchan não conseguiu descobrir se ele tinha obtido aquela informação com alguém que a espionou no mercado ou por algum poder satânico, mas a fúria dele era real.

 

Quando o feiticeiro a acusou, ela negou as acusações. O marido então pegou a bolsa de compras dela e tirou o exemplar do Novo Testamento de dentro. Enfurecido, ele a espancou e depois queimou o examplar bíblico junto com outras coisas que estavam no lixo de sua casa.

 

O feiticeiro da aldeia então realizou um tipo de magia negra sobre a família como um “remédio”, e deixou o marido e outros parentes de Chauchan se sentindo “aliviados”.

 

Naquela noite, o marido de Chauchan foi acometido de uma febre muito alta. Nos dias que se seguiram, a febre e sua condição pioraram. Então eles pediram ao feiticeiro que trabalhasse em sua magia de cura para livrá-lo daquela febre. Chegando com outros dois homens, ele começou a realizar seus rituais e lançou feitiços, se mantendo assim por dois dias, enquanto se encontrava com a família.

 

Mas o marido de Chauchan não resistiu à enfermidade e acabou falecendo. A família de Chauchan e o feiticeiro passaram a acusá-la, dizendo que seu marido morreu porque ela tinha dado ouvidos aos missionários e levado a Bíblia para dentro de casa.

 

Então eles decidiram enterrá-la viva, junto ao cadáver de seu marido. O budismo não tem a prática de enterrar pessoas mortas, muito menos as que ainda estão vivas. Por isso acredita-se que a decisão do feiticeiro estivesse realmente influenciada pela magia negra.

 

O feiticeiro e seus discípulos levaram Chauchan a uma área isolada para fazer seu enterro. Ela gritava alto, enquanto a empurravam para o túmulo, mas seus gritos foram ignorados por eles. Os homens colocaram o corpo de seu marido morto sobre ela e colocaram uma laje de concreto para tampar seu túmulo. Em seguida, jogaram terra e as pedras sobre o túmulo, até que os gritos da mulher foram silenciados e os corpos cobertos.
Clamor e Intercessão

 

Os membros da igreja doméstica da ‘ALG’ souberam da perseguição que Chauchan estava sofrendo e passaram a orar e jejuar por ela, enquanto tudo aquilo estava acontecendo.

 

Até então, os membros da igreja não sabiam que Chauchan estava sendo enterrada viva, mas o Espírito Santo começou a se mover poderosamente sobre aquela vigília de oração. Alguém profetizou que uma mulher valiosa que inconscientemente acreditava em Jesus tinha sido enterrada viva com o cadáver do marido.

 

Enquanto isso, a esposa do pastor teve uma visão: ela viu que era Chauchan e que ela ainda estava viva! Eles então oraram mais, pedindo pela orientação de Deus.

 

Quando a noite caiu, o pastor, com um grupo de homens da igreja, foram ao cemitério – a localização do túmulo também foi revelada quando a igreja orou – e eles encontraram a sepultura.

 

Todos oraram novamente, cavaram a terra e puxaram a grossa laje de concreto que estava tampando o túmulo. Eles encontraram o cadáver de um homem. Então removeram o corpo e sob ele encontraram Chauchan, com sinais de vida. Eles a puxaram imediatamente daquela sepultura, começaram a fazer os procedimentos de primeiros socorros e continuaram a clamar a Deus pela vida dela. Enquanto eles pulverizavam um pouco de água em seu rosto, ela lentamente abriu os olhos.

 

O pastor e os membros da igreja enterraram novamente o corpo do marido de Chauchan e levaram a mulher para a casa dela.

 

No dia seguinte, eles fizeram outra reunião de jejum e oração e foi lá que Chauchan aceitou abertamente o Senhor Jesus como seu próprio salvador e Senhor. Eles sabiam que, se ela ficasse com eles, tanto ela como a igreja seriam ainda mais ameaçadas, então eles decidiram enviá-la para outra igreja da mesma denominação em uma localização mais distante.

 

Chauchan agora sabe que ela é uma nova criação no Senhor Jesus.

 

*O nome verdadeiro e fotos de Chauchan e dos cristãos que oraram por ela não estão sendo divulgados nessa matéria, para preservar a segurança dessas pessoas.

 

COM INFORMAÇÕES DA BIBLES FOR MIDEAST