Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/06/2018

Fã homossexual se queixa com Justin Bieber sobre “homofobia” e ele a convida para ir a um culto

O grande desafio do evangelismo no mundo contemporâneo é expressar a verdade bíblica sem afugentar aqueles a quem a Bíblia Sagrada confronta. Denunciar o pecado e amar o pecador que não foi alcançado pela Palavra de Deus é um desafio de quem segue a Jesus. O cantor Justin Bieber enfrentou uma situação que se encaixa nessa rotina, e convidou uma fã a participar do culto após ouvi-la desabafar.

 

Quando saiu de um culto na Hillsong Church em Miami, Flórida (EUA), Bieber foi abordado por uma fã que se identificou como homossexual e o questionou o quanto a denominação seria inclusiva. Em meio a fotos e autógrafos, o cantor canadense ouviu atentamente as queixas da jovem.

 

“Como foi o culto? Sua igreja é realmente inclusiva?”, perguntou a fã, enquanto que o cantor observou que todas as pessoas poderiam participar dos cultos, sem excessão. Em seguida, a jovem afirmou que não conseguiu sentir-se bem-vinda no local.

 

“Eu tenho tentado encontrar um lugar que seja inclusivo para todo mundo, porque eu me assumi homossexual, não faz muito tempo, então estou tentando encontrar um lugar legal. Porque ninguém é legal. Todo mundo é tão homofóbico”, queixou-se a jovem.

 

Logo após ouvir o desabafo, Justin Bieber expressou compreensão e, habilmente, sem fazer declarações que soassem fora da verdade bíblica, afirmou: “Estou de coração partido por você, eu sinto muito. Se você quiser vir a algum dos cultos, qualquer um deles adoraria receber você. Nós adoraríamos ter você aqui, você é mais do que bem-vinda para vir a qualquer momento”, disse, segundo o portal New Now Next.

 

Amor
Os desafios que a Igreja enfrenta em se manter firme à compreensão bíblica sobre a sexualidade não são simples, segundo o pastor e escritor Michael Brown.

 

O líder evangélico afirmou ao portal The Christian Post que a homossexualidade deve ser tratada à luz das verdades bíblicas, mas isso deve ser feito com amor e compaixão: “Que tal falar a verdade em amor, com lágrimas, compaixão e cuidado? A verdadeira compaixão não é silenciosa. A verdadeira compaixão adverte”, pontuou.

 

“Quando as pessoas me perguntam como alcançar a comunidade LGBT, a primeira coisa que digo é: pedindo a Deus um batismo sobrenatural de amor por eles. Mas o amor não é transigente. Se fosse, não seria mais amor”, alertou, enfatizando que a verdade é a única maneira de levá-los a Cristo.

 

 

Gospel +