Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 10/09/2016

Facebook apaga foto da Guerra do Vietnã e premiê da Noruega republica

menina-de-napalmA primeira-ministra da Noruega desafiou na sexta-feira (9) as restrições do Facebook a fotos de pessoas nuas ao postar uma imagem icônica que mostra uma menina nua gritando e correndo após um ataque de napalm atingir o Vietnã em 1972. O Facebook apagou a foto rapidamente.

 
A imagem do fotógrafo Nick Ut, da Associated Press, foi vencedora do prêmio Pulitzer e está no centro de um acalorado debate sobre a liberdade de expressão na Noruega, após o Facebook ter removido a imagem da página de um jornal norueguês no mês passado.

 
Desde então, muitos noruegueses postaram a foto na rede social em protesto. Nesta sexta-feira (9), a primeira-ministra Erna Solberg se juntou a eles. Segundo Sigbjørn Aanes, um dos assessores de Solberg, no entanto, o Facebook removeu a publicação após algumas horas. “O que eles fazem através da remoção de imagens deste tipo, sejam quais forem as intenções, é editar a nossa história comum”, disse Solberg à agência de notícias norueguesa NTB.

 
Em comunicado emitido por sua sede em Londres, o Facebook respondeu que “é difícil criar uma distinção entre permitir que uma fotografia de uma criança nua em uma instância e não em outras”.
A menina na imagem, Kim Phuc, está nua e chorando enquanto o napalm derrete camadas de sua pele. Vários membros do governo da Noruega seguiram o exemplo de Solberg e postaram a foto em suas páginas do Facebook. Um deles, o ministro da Educação Torbjorn Roe Isaksen, disse que era “uma foto icônica, parte da nossa história”.

 
Mais tarde, Solberg republicou a imagem. Mas colocou uma tarja preta para cobrir parte do corpo da garota. Ela ainda postou outras fotos icônicas de eventos históricos, como o homem de pé na frente de um tanque na Praça Tiananmen, em Pequim, em 1989. Também incluiu tarjas pretas para cobrir os protagonistas.

 
“Enquanto eu estava em um avião de Oslo a Trondheim, õ Facebook apagou um post da minha página”, escreveu ela. “Hoje, as imagens são um elemento tão importante na formação de uma impressão, que se você editar eventos passados ou pessoas, mudará a história e a realidade.”

 
Nesta sexta-feira (9), o jornal norueguês “Aftenposten” publicou a foto em sua primeira página e também escreveu uma carta aberta ao fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, em que o editor-chefe Espen Egil Hansen acusou a gigante de mídia social de abusar de seu poder.

 
Hansen disse que estava “chateado, decepcionado – até com medo, na verdade– Do que você está prestes a fazer com um dos pilares da nossa sociedade democrática”.
O Facebook, por sua vez, disse que tenta “encontrar o equilíbrio certo entre o que é permitido para que as pessoas se expressem, mantendo uma experiência segura e respeitosa para a nossa comunidade global”. “Nossas soluções nem sempre serão perfeitas, mas vamos continuar tentando melhorar nossas políticas e as maneiras que nós as aplicamos.”

 
Paul Colford, vice-presidente AP e diretor de relações com a mídia, disse: “A Associated Press tem o orgulho de foto de Nick Ut e reconhece o seu impacto histórico”.

 

G1.COM