Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/03/2017

Falta de profissionais é principal problema do HGCA

O Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) comemorou na última quarta-feira (15) 33 anos de existência em Feira de Santana. Como maior hospital público do interior da Bahia e com o maior número de especialidades médicas do interior, o HGCA possui importante papel social no atendimento à comunidade de Feira de Santana e região.

 

Inaugurado em 1984 pelo ex-governador João Durval Carneiro, o hospital possui 300 leitos, sendo 24 de UTI adulto, 16 leitos na sala vermelha, 12 leitos de Unidade de Cuidados Semi-Intensivos Neonatal e 5 leitos de UTI Neonatal. “É muito difícil, pois são 300 leitos para toda a população de Feira, mas, se você pegar a historia do Clériston desde a sua inauguração até os dias de hoje, ele só vem fazendo o bem para os pacientes”, comenta Dr. José Carlos Pitangueira, diretor-geral do HGCA, sobre o hospital que atende a aproximadamente 2.500 pacientes clínicos e vítimas de traumas, e 2.700 no ambulatório.

 

Segundo Pitangueira, mesmo com dificuldades, o HGCA continua encarando desafios para atender a comunidade. “Hoje a nossa maior dificuldade está sendo pessoal. Porque nós temos muitos funcionários de 33 anos da SESAB que estão sendo aposentados, e a dificuldade está em substituir esses profissionais. O governador e o secretário estão tentando, de todos os meios, ver como resolve, porque a Lei de Responsabilidade Fiscal não dá condição de um novo contrato, porque se estourar a verba quem responde é o governo do estado”, diz o diretor acrescentando que o concurso Reda poderia ser uma solução viável, mas que não sabe se o Ministério Público irá liberar.

 

Mesmo com as atuais e antigas dificuldades, o Clériston tem se mantido em funcionamento e atendendo a comunidade. “33 anos é a idade de Cristo, é o ano do Clériston Andrade. Vai ser um ano de melhorias, governador e secretário de Saúde autorizaram a reforma da emergência do Clériston, que será feita em parte porque não irá fechar a emergência. Hoje o Clériston está a todo vapor para resolver os problemas de Feira de Santana”, explica.

 

Em decorrência do aniversário da instituição, foi realizado, ontem 16, no refeitório da unidade, um almoço especial para os funcionários.

 
FOLHA DO ESTADO