Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/05/2016

Feira passa a contar com unidade do Programa Estação Juventude

1

Ao som do hip hop, cantado por MC Atropelo, nome artístico de Paulo Eduardo Cerqueira Lima Júnior, um jovem de 14 anos, morador das Baraúnas, foi comemorado na manhã desta sexta-feira, 20, as instalações do programa Estação Juventude, que vai funcionar no Centro Integrado de Capacitação do Adolescente e Família Gilza Melo (Cicaf). O prefeito José Ronaldo de Carvalho e o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira, participaram da inauguração.

 

 
O Estação Juventude já atende no município jovens de ambos os sexos, na faixa etária de 15 a 29 anos, que vivem em situação de vulnerabilidade social. O território de abrangência compreende os bairros Alto do Cruzeiro, Baraúnas, Rua Nova, Feira X, Feira IV e Tanque da Nação.

 

 
O programa é voltado à promoção da cidadania, fortalecendo as políticas direcionadas a juventude de Feira de Santana. “O Município cria um canal de inclusão social para a juventude, especialmente com o propósito de reduzir os índices de violência e homicídios, que já são alarmantes e envolvem jovens pobres e negros”, disse Ildes Ferreira.

 

 
Conforme a coordenadora Sheyla Klícia da Conceição, o programa tem o intuito de efetivar a política em atenção a juventude no território de abrangência, com a realização de várias atividades, como as oficinas de dança e esporte. O prefeito José Ronaldo disse que iniciativas como essa contam com a sua admiração. Ele desejou sucesso ao programa Estação Juventude e parabenizou os colaboradores pela luta e trabalho incansáveis.

 

 
O ato contou com as presenças do chefe de Gabinete da Sedeso, Cadmiel Pereira, da diretora do Departamento de Cidadania, Segurança Alimentar e Nutricional, Ivone Magalhães, e do diretor do Departamento de Assistência Social, Carlos Lacerda. Também prestigiou o ato o secretário de Governo, Paulo Aquino.

 

 
As ações do programa visam reduzir a vulnerabilidade de jovens negros a situações de violência física e simbólica, a partir da criação de oportunidades de inclusão social e automonia, ampliando os direitos e desconstruindo a cultura da violência. É um trabalho que envolve a rede municipal de assistência social. O Estação Juventude é vinculado a Sedeso em parceria com o Governo Federal.

 

 

Secom