Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 03/11/2015

Feira realiza treinamento teste para as olimpíadas de 2016

capa_25Fogo, fumaça e pessoas feridas. Em questão de minutos, as sirenes começam a ser ouvidas. São as ambulâncias do Corpo de Bombeiros e do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que chegam para apagar as chamas e resgatar os sobreviventes de um atentado terrorista. Tudo não passou de uma simulação realizada na manhã deste sábado, 1 de novembro, no Aeroporto João Durval Carneiro.

 

 

O treinamento visando capacitar as forças de segurança e as entidades civis e militares fez parte das atividades do I Congresso Internacional de Desastres em Massa, realizado até este domingo em Feira de Santana, e cuja iniciativa foi do Programa de Laboratório em Comunidade e acadêmicos do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). A simulação serviu de teste para as Olimpíadas 2016.

 

 

O coordenador de Linhas de Pesquisa em Ciência Forense da Uefs e organizador do evento, professor Jeidson Marques, afirmou que a integração e sincronia das forças é de fundamental importância para uma resposta rápida e efetiva diante de um desastre.

 

 

Segundo ele, esse já é um evento mundial. Nesse congresso participaram pesquisadores e peritos de nove países, os quais trouxeram suas experiências – foram realizadas atividades teóricas com palestras. “Feira de Santana está tendo a oportunidade de mostrar para o mundo como se faz um treinamento para adquirir experiência, bem como ajudar as forças governamentais e policiais a se integrarem para um trabalho conjunto diante de um desastre em massa”, disse.

 

 

Além do Corpo de Bombeiros e do SAMU participaram da atividade a Defesa Civil, polícias Militar e Civil, Guarda Municipal, Exército, Marinha e Aeronáutica, bem como a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).

 

 

A coordenadora do SAMU, Maísa Macêdo, acentuou que a integração dos diversos serviços possibilita uma melhor resposta a uma situação de desastre em massa. “Deve ser uma ação rápida e imediata. Para isso é necessário um plano de trabalho para esse tipo de atendimento”, afirmou.

 

 

“O SAMU tem um papel fundamental. É o órgão que faz o diferencial, uma vez que, é a instituição que vai resgatar e salvar as vítimas. Ele é o articulador de todas as forças existentes”, reforçou a coordenadora do órgão.

 

 

O treinamento foi acompanhado por um número expressivo de pessoas, entre elas estudantes. O secretário municipal de Governo, Paulo Aquino, também esteve presente.