Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/07/2014

Freira morre após ser crucificada durante exorcismo

downloadEm 1999, pela primeira vez o Vaticano alterou suas diretrizes sobre o exorcismo, pedindo que os padres levassem em conta a possibilidade de se tratar de problemas psiquiátricos. O papa Francisco se mostra interessado pelo assunto, tendo falado abertamente sobre exorcismo.

 

De acordo com o jornal oficial do Vaticano, o L’Osservatore Romano, este mês a Associação Internacional de Exorcistas, composta por 250 padres que atuam em mais de 30 países, conseguiu sua aprovação pela Congregação para o Clero. A decisão na prática dá o reconhecimento legal à prática do exorcismo, sendo previsto pelo Direito Canônico.

 

Mas na Igreja Ortodoxa o assunto ainda causa polêmicas. Autoridades da Romênia voltaram a lidar com pressões para a proibição na prática essa semana. O padre Daniel Corogeanu (33) e quatro freiras foram condenadas a sete anos de prisão, acusados de matar a freira Irina Cornici (23) em uma cerimônia de exorcismo.

 

Segundo a polícia, Corageanu deixou a freira amarrada a uma cruz sem água nem comida durante cinco dias no Mosteiro Tanacu, no oeste da Romênia. Segundo o grupo, eles estavam tentando ajudar Irina e são inocentes das acusações de detenção ilegal de uma pessoa contra sua vontade e de terem causado a morte da freira.

 

Perante o tribunal, o padre Corogeanu afirmou que o ritual de exorcismo realizado por ele e pelas freiras foi “bastante normal” e culpou os médicos que atenderam Cornici pela sua morte. Ele disse: “Nós a mantínhamos trancada e amarrada porque ela continuava se batendo e machucando a si mesma. Admito que colocamos uma toalha em sua boca e a deixamos assim durante cinco dias. Mas ela precisava ficar com a boca coberta enquanto realizávamos a missa diária, pois caso contrário atrapalhava a cerimônia”.

 

Relatou ainda que ele e as freiras tentaram dar comida e água, mas a freira recusava. A única coisa que Corcini aceitava era água benta. Para o padre, seu maior erro foi ter chamado uma ambulância quando percebeu que a freira desmaiou e ficou horas sem se mexer. Ele disse ser normal que uma pessoa liberta de demônios possa desmaiar, mas ela estava demorando muito para reagir. Quando os paramédicos chegaram, tentaram ressuscitá-la com injeções de adrenalina, mas já era tarde demais.

 

O legista Dan Gheorghiu veio a público recentemente dizer: “Eu fazia parte da equipe que tratou a exumação do corpo da freira. A mulher morreu de uma overdose de adrenalina. Não me pergunte, pois não sei por que os juízes não levam isso em conta”. Por causa disso, para muitos o julgamento do caso foi prejudicado pela atenção da mídia e pressão popular.

 

Após o veredito do tribunal, a Igreja Ortodoxa Romena excomungou os cinco acusados e disse que o ritual era contra os ensinamentos da Igreja. Agora que saiu da prisão, Daniel Corogeanu voltou para o vilarejo isolado onde a morte ocorreu. Ele afirma que seu desejo era construir um monastério em memória da vítima. Mas quando chegou ao local da construção, os habitantes do vilarejo o expulsaram. Ele fugiu para uma cabana isolada no meio da floresta, recusando-se a sair de lá.

 

A história ganhou notoriedade na Romênia e inspirou o filme “Beyond the Hills”, do cineasta Cristian Mungiu, ganhador do prêmio de melhor roteiro e atriz no Festival de Cannes de 2012.

 

Com informações de Daily Mail