Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/06/2018

Governo Municipal vai economizar mais de 1 mi com suspensão dos shows na Expofeira 2018

Prevista para ocorrer em setembro, a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana, a Expofeira, não contará, nesta edição, com os shows que tradicionalmente funcionam como um forte atrativo da festa.

 

A medida, anunciada pelo prefeito Colbert Martins Filho, em entrevista coletiva, na manhã desta sexta-feira, 15, decorre da crise econômica que atinge todas as esferas de governo, adensada ainda mais com a greve dos caminhoneiros.

 

“Houve uma redução de repasses financeiros importantes, a exemplo do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que caiu 26%. Este momento de depressão econômica, segundo previsões do setor financeiro, deve prosseguir até os próximos três meses”, argumentou o prefeito.

 

Sem a contratação das atrações musicais, a Prefeitura Municipal vai economizar, baseado nos valores pagos no ano anterior, cerca de R$ 1,3 milhão. Já o “Caminho da Roça”, programação cultural identificada com as raízes do município, contemplo atrações regionais, será mantido.

 

As festas juninas também estão mantidas, com cerca de 80 shows em sua programação, de acordo com o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Feloni Borges.

 

Baseado em dados do secretário da Fazenda, Expedito Eloy, Colbert Martins revelou que nos anos de Copa do Mundo, a atividade comercial costuma cair em função das interrupções do funcionamento do comércio, durante os jogos da Seleção Brasileira.

 

As dificuldades de arrecadação por que passa a Prefeitura, são acompanhadas das fortes chuvas que caem sobre o município, danificando o piso da cidade, o que implica em mais recursos para recuperar a malha viária da cidade.

 

Segundo o gestor, “o governo está empenhado em reduzir custos em todos os setores, locação de veículos, horas extras e diárias, gastos com telefone e nas cotas de combustíveis, até cópias estamos fazendo impressão em frente e verso”.

 

Entretanto, Colbert Filho (foto) asseverou que “compromissos com a folha de pagamento e com os fornecedores da Prefeitura serão rigorosamente cumpridos, a exemplo dos aumentos que os professores têm direito, que a Prefeitura pagou 2,8% referente ao mês de março, e estamos devendo 4%, retroativos ao início do ano letivo”.

 

Ele manifestou preocupação com o corte num recurso da ordem de R$ 10 milhões, fruto das suas viagens á Brasília, para aquisição de massa asfáltica: “Não sei quanto vai sobrar deste dinheiro, pois na hora de cortar quem primeiro sofre é custeio, o que pode afetar novas obras”.

 

O início das obras de duplicação da BR-116 Norte, que abrange o Anel de Contorno Oeste, é um dos investimentos que podem ser adiados para depois do segundo turno das eleições, ou seja, após o mês de outubro.
Secom