Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 31/01/2017

Holocausto Judeu: Tentaram matar uma geração

01O Dia 27 de janeiro nos recorda uma dos piores crimes contra a humanidade, o genocídio de mais de 6 milhões de judeus pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. O dia em Memória do Holocausto nos faz pensar em qual mundo as crianças herdarão ou qual tipo de geração deixaremos no mundo.

 

O ato mais cruel na história da humanidade foi o extermínio de crianças entre as milhares de vítimas do Holocausto. Mais de um milhão de crianças judias foram mortas, uma geração inteira assassinada, sobe o comando de Adolf Hitler.

 

A morte natural de uma criança é difícil de entender. O assassinato de uma criança é ainda mais difícil. O assassinato de um milhão e meio de crianças é impossível de compreender e ser aceito. E mesmo assim os líderes nazistas decretaram que, juntamente com todos os judeus adultos, as crianças judias também deveriam ser exterminadas.

 

Para assassinar crianças, os nazistas tiveram primeiro de destruir aquele senso de compaixão, o que fizeram. Nos primeiros anos, as crianças recebiam injeções letais. Mais tarde, morriam de inanição ou à bala, baioneta ou estranguladas.

 

Um guarda de Auschwitz, testemunhando no Juramento em Nuremberg, admitiu que no auge do genocídio, quando nos campos de concentração estavam matando dez mil judeus por dia, as crianças eram atiradas ainda vivas à fornalhas.

 

As consequências do Holocausto judeu tiveram um efeito profundo sobre a sociedade, tanto na Europa quanto no resto do mundo. O destino dos sobreviventes do Holocausto também se tornou uma questão importante, uma vez que levou à criação do Estado de Israel através da diáspora judaica. E os que escaparam dos horrores dos campos de concentração tornaram se sementes de uma grande nação.

 

GUIAME