Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/01/2016

Hospital da Mulher supera 664 mil atendimentos

2812016162039O Hospital Inácia Pinto dos Santos – o Hospital da Mulher – atingiu a marca dos 664.028 atendimentos computados ao longo de 24 anos de fundação. O serviço especializado para as mulheres foi iniciado no dia 30 de janeiro de 1992, tendo como referência a demanda espontânea e referenciada na urgência e emergência obstétrica, neonatologia e pediatria clínica.

 

Atualmente o Hospital da Mulher presta diversos serviços ao público, como internação, urgência, obstetrícia, cirurgia geral especializada, neonatologia e pediatria clínica, sempre buscando assistir a mulher no ciclo gravídico-puerperal e aos recém-nascidos, conforme explica a diretora-presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), Gilberte Lucas.

 

Em reconhecimento à qualidade dos serviços prestados à população, em 1995 o Hospital da Mulher conquistou o título de Hospital Amigo da Criança, concedido pela Fundação das Nações Unidas (Unicef). “O Hospital da Mulher possui ambulatório, consultório de atendimento médico, sala de acolhimento e classificação de risco, centro obstétrico, centro cirúrgico, uma UTI Neonatal, enfermarias, casa de puérpera, Mãe Canguru, laboratórios, serviços de nutrição e dietética, sala de radiologia, necrotério e banco de leite humano, funcionando como hospital de referência atendendo a demanda da zona urbana e rural do município”, explica Gilberte Lucas, ao informar que a unidade também é referência para 88 municípios.

 

Ao longo dos 24 anos de funcionamento, o Hospital da Mulher atendeu 211.810 gestantes via ambulatório, 352.218 gestantes atendidas na emergência, com mais de 100 mil partos realizados. Somente em 2015 foram atendidas 21.555 gestantes na emergência.

 

Ao longo dos 24 anos de fundado, o Hospital da Mulher vem sofrendo intervenções contínuas visando ofertar mais e melhores serviços especializados às mulheres. E a vocação para atender indistintamente as mulheres fez a direção da unidade hospitalar migrar também os leitos destinados a particulares para 100% SUS em internamento em obstetrícia. E, ao longo dos anos, a implantação da UTI Neonatal.

 

Os investimentos no Hospital da Mulher continuam e tem como resultado a ampliação do atendimento. O programa Mãe Canguru dobrou a capacidade de atendimento, passando de sete para 14 leitos. “E em 2014 foi implantada a Classificação de Risco 24h na Emergência. Antes a paciente passava até 10 horas para ser atendida pelo médico. Agora passa logo pela enfermeira obstétrica e já vai triada para o médico sabendo o que é urgência, médio e baixo risco”, observa Gilberte Lucas.