Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 16/05/2018

“Igreja brasileira é uma das mais fracas da história”: pastor lista 13 pontos a serem corrigidos

A Reforma Protestante marcou o início de uma heterogeneização no meio cristão, com o surgimento de diferentes denominações que possuíam liturgias e interpretações distintas sobre a Bíblia. A ausência de uma “curadoria” teológica que guiasse as doutrinas fez surgir movimentos diversos, e isso permitiu a existência de desvios na mensagem.

 

O pastor e escritor Renato Vargens publicou um artigo manifestando sua visão do cenário macro da Igreja evangélica brasileira e afirmou que o Corpo de Cristo no Brasil é um dos mais frágeis em conhecimento bíblico da história pós-reforma, o que leva a ser também um dos mais suscetíveis a heresias.

 

“É possível que alguns ao lerem o titulo deste post discordem dizendo: ‘O pastor Renato Vargens está errado, nunca tivemos tanta gente nas igrejas evangélicas brasileiras, como no nosso tempo’. A estes eu respondo dizendo: mas, desde quando números e quantidade de pessoas frequentando um culto aponta para uma igreja fiel a Deus e sua Palavra?”, questionou o pastor.

 

“Pois é, não dá para generalizar não é mesmo? Ainda que eu entenda que igrejas saudáveis atraiam pessoas aos seus cultos, (e que temos centenas delas no Brasil) considerar isso como prerrogativa de um avivamento, por exemplo, é um grande equivoco”, pontuou.

 

“Acredito que a igreja brasileira é uma das mais frágeis da história pós-reforma”, frisou, elencando treze argumentos que se aprofundam na realidade das denominações evangélicas contemporâneas. Confira:

 

1 – A igreja brasileira é frágil porque possui pastores despreparados tanto bíblica como teologicamente. As estatísticas por exemplo aponta para o fato de que 50,66% dos pastores nunca leram a Bíblia toda. No que tange a teologia, a maioria esmagadora dos líderes evangélicos não sabem explicar doutrinas como: salvação pela graça mediante a fé em Cristo Jesus, Justificação pela fé, A soberania de Deus e a responsabilidade humana, depravação total, eleição e muito mais.

 

2 – A igreja brasileira é frágil porque tem negligenciado o estudo bíblico e a escola bíblica. Se olharmos para a maioria das igrejas brasileiras perceberemos nitidamente que a o estudo bíblico comum aos crentes em décadas passadas, foi substituído pelas campanhas de milagres. Ademais, a chamada Escola Bíblica Dominical foi negligenciada de tal forma que a maioria dos cristãos preferem ficar em suas casas a estudar a Bíblia em classes.

 

3 – A igreja brasileira é frágil porque transformou sua liturgia outrora cristocêntrica, numa liturgia antropocêntrica. Infelizmente, o culto cristão tirou Deus do foco e colocou o homem no seu lugar, fazendo que a música, a oração, a leitura das Escrituras e principalmente a pregação da Palavra de Deus estejam focadas mo homem e não naquele que nos salvou.

 

4 – A igreja brasileira é frágil porque a música entoada em seus cultos é rasa, sem profundidade teológica, o que tem contribuído efetivamente com o surgimento de uma igreja idiotizada e alheia as verdades das Escrituras.

 

5 – A igreja brasileira é frágil porque a forma com que lida com a membresia, bem como recebe novos membros na igreja local, está absolutamente descentralizada das Escrituras,

 

6 – A igreja brasileira é frágil porque tem lidado de forma superficial com o pecado. Lamentavelmente em nome do “amor cristão”, muitos tem feito vista grossa aos erros cometidos por seus membros, excluindo de sua prática e comportamento a disciplina cristã.

 

7 – A igreja brasileira é frágil porque possui uma visão distorcida de quem as Escrituras revelam ser Deus. Nessa perspectiva sua teontologia, cristologia e pneumatologia, além de antibíblicas estão fundamentadas muito mais em sentimentos e impressões do que na Palavra de Deus.

 

8 – A igreja brasileira é frágil porque tem relativizado a ministração das ordenanças, batizando sem critérios aqueles que chegam, e ministrando a Ceia de qualquer forma a qualquer pessoa.

 

9 – A igreja brasileira é frágil porque possui uma visão distorcida da criação do homem, sua queda, do pecado original, da ira de Deus e da justa condenação do pecado tornando-se por consequência semipelagiana.

 

10 – A igreja brasileira é frágil porque o seu foco não está glória de Deus, mas, efetivamente, na satisfação das necessidades humanas.

 

11 – A igreja brasileira é frágil porque negligencia a oração. Os puritanos costumavam dizer que tentar fazer a obra de Deus sem oração é arrogância e pecado. De certa forma isso é o que tem sido feito por parte da igreja, que abandonou na esquina do esquecimento o salutar hábito de orar.

 

12 – A igreja brasileira é frágil porque se transformou numa igreja pragmática. Nessa perspectiva, em vez de fazer o que é certo, ela prefere fazer o que dá certo, jogando na lata do lixo valores, princípios e doutrinas cristãs.

 

13 – A igreja brasileira é frágil porque em nome da contextualização optou pelo sincretismo negando assim verdades fundamentais a fé cristã. Pense nisso!

 

 

Gospel +