Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/09/2016

Igreja oferece café da manhã para refugiados venezuelanos: “Uma forma de dar boas vindas”

unnamed (2)Na manhã do último domingo (18), a Igreja da Paz, na zona Oeste de Boa Vista (RR), ofereceu um café da manhã para refugiados venezuelanos que estão vivendo na cidade, devido à forte crise econômica da Venezuela.

 
Aproximadamente 65 estrangeiros receberam a refeição doada pela igreja. Pães, frutas, bolos e arepas (comida típica da Venezuela) foram alguns dos alimentos servidos na ação realizada por voluntários da comunidade cristã.

 
Segundo o pastor Antônio Lima, presidente da Igreja da Paz em Roraima, a ideia de oferecer o café da manhã surgiu, devido à participação significativa dos refugiados nos cultos.

 
“Nosso coração fica partido, porque eles estão em outra terra, tentando sobreviver sem conhecer ninguém. Eu acho que a igreja tem um papel muito grande. É uma forma de dar boas vindas, para que eles possam se sentir acolhidos no nosso meio, pois muitos não possuem família aqui”, explicou.

 
O venezuelano John Jairo, de 36 anos, disse que ficou sabendo do café por meio de um outro pastor. Vivendo há três meses no Brasil, o refugiado disse que a situação na Venezuela é bastante difícil.

 
“Vim ao Brasil porque quero ajudar a minha família”, disse ele, que atualmente trabalha nas obras de construção do prédio da igreja da Paz.

 
Ação social

 
Esta já é a segunda vez em que o café é servido para refugiados. A primeira ação da igreja nesse sentido ocorreu no domingo anterior (11), quando a comunidade atendeu a cerca de 60 estrangeiros, também venezuelanos na maior parte venezuelana.

 
O pastor Antônio Lima ressaltou que o projeto não ainda não tem previsão de parar com as ações. A ideia é continuar servindo as refeições pelo tempo que for necessário.

 
“Enquanto tiver refugiado, vai ter café”, frisou Lima.

 
Crise na Venezuela e refugiados em Roraima

 
A atual crise econômica na Venezuela está levando muitos venezuelanos a fugirem para o município de Pacaraima, em Roraima. A cidade faz fronteira coma Venezuela e diariamente, centenas de pessoas chegam ao município, que tem pouco mais de 10 mil habitantes, em busca de comida e remédios.

 
A Polícia Federal informgou que devido à crise na Venezuela, o número de pedidos de refúgio feitos venezuelanos cresceu em 7.000% dentro de dois anos.

 
GUIAME