Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 27/09/2014

Missa negra atrais mais cristãos que satanistas

download (2)Desde que foi anunciada a realização de uma “missa negra” no dia 21, a cidade de Oklahoma tornou-se o centro de um debate nacional sobre liberdade de expressão. Um grupo chamado Dakhma of Angra Mainyu Syndicate anunciou que havia roubado uma hóstia consagrada de uma igreja católica e a usaria no ritual. Ameaçados de processo, devolveram a hóstia.

 

Depois, conseguiram alugar uma sala no Centro Cívico que já abriga uma igreja evangélica. Fariam seus rituais de adoração ao diabo bem ao lado de onde os cristãos glorificavam a Jesus. Contudo, o evento foi um fracasso de público. Inicialmente, os satanistas venderam 88 ingressos, mas apenas 42 pessoas foram até o local.

 

Curiosamente, do lado de fora do Oklahoma City Civic Center, cerca de 1.600 cristãos, na maioria católicos se reuniram para protestar. Vindos de diferentes cidades do Estado, cantaram e fizeram orações para que o diabo fosse embora da cidade. Muitos carregavam crucifixos, Bíblias e cartazes de protesto.

 

O Dakhma tem como fundador Adam Daniels, que já foi preso por agressão sexual. Ele convidou bandas de heavy metal e punk para iniciar a adoração satânica. Usando um manto negro, deitou sua esposa nua em um altar onde realizou um ritual que ridicularizava a santa ceia, ensinada por Jesus aos seus seguidores. O evento durou cerca de duas horas e incluiu uma espécie de sermão.

 

Em entrevista à TV local, ele afirmou que “Pedimos a bênção e fizemos ofertas a Satanás… Tomamos todas as coisas que normalmente são feitas para lembrar o corpo de Cristo e reconsagramos da maneira que o diabo quer”.

 

Explicou ainda que o ritual conhecido como “missa negra” é uma tradição que vem desde o século XIV e que é uma manifestação religiosa legítima. Com diferentes manifestações na internet, um abaixo-assinado já reúne cerca de 100 mil assinaturas pedindo que o governo municipal não alugue mais o espaço para os satanistas.

 

Com informações Huffington Post e KSN