Dicas

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/06/2014

Infartos crescem 30% em Copas do Mundo; saiba como se proteger

16145-2O jogo do Brasil com a Croácia, na estreia da Copa do Mundo, foi um teste para o coração com muito susto e emoção em 90 minutos. Hoje, 16h, tem novo teste quando a Seleção encara o México.

 

Durante os jogos, é preciso torcer, mas também cuidar do coração. Foi o que mostrou um estudo baseado em dados do Sistema Único de Saúde e publicado na Revista Arquivos Brasileiros de Cardiologia que identificou um aumento de 30% dos infartos comparado com dias normais.

 

Um estudo realizado pelo Cardiovasular Events During World Cup Soccer (realizado na Copa do Mundo na Alemanha) também identificou um risco de infarto 3,26 vezes maior durante os jogos do Mundial. E nesse teste do coração, as mulheres ganham de goleada. Das vítimas, 71,5% eram homens.

 

No final dos anos 70, o narrador Galvão Bueno criou o bordão “Haaaaja coração”, numa referência ao mal estar que os jogos da seleção brasileira criava nos torcedores. De acordo com o cardiologista Anderson Rodrigues, do Grupo Sabin, as fortes emoções aliadas a outros fatores de risco como a hipertensão, diabetes, dislipidemia (colesterol alto), tabagismo, histórico familiar, obesidade e sobrepeso são uma combinação perigosa para a saúde, ampliando o risco de infartos e derrames (acidente vascular cerebral-avc).

 

“Geralmente, as pessoas acreditam que sejam saudáveis, mas como não dá apenas para ficar nessa torcida, é fundamental estar com os exames periódicos em dia”, sugere . Para Anderson Rodrigues, torcer entre familiares e amigos é um bom fator de proteção porque confere conforto e tranquilidade os corações torcedores. “Se a pessoa perceber que está sentindo incômodo a sugestão é sair um pouco de frente da televisão, respirar um ar fresco, tomar uma água para descontrair”, sugere.

 

O cardiologista e membro da equipe de Arritmia e Eletrofisiologia do Hospital Português, Alexsandro Fagundes ressalta que sintomas como dores no peito, falta de ar, palidez, suor em excesso (sudorese), sensação de desmaio não devem ser desconsiderados e nem menosprezados e, nesses casos, vale ter a mão o telefone dos serviços médicos de urgência, o 192. “Se o mal estar for rápido e momentâneo, é importante que na primeira oportunidade, o indivíduo busque uma avaliação médica”, sugere.