Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/08/2015

Insegurança, mitos e tabus dificultam a amamentação

682015165232Ao contrário do que se pensa, amamentar um bebê não é instintivo como nos animais. Requer alguns cuidados simples, mas que devem ser adotados para o bem-estar tanto da mãe quanto da criança. Durante palestra, no auditório do Hospital Municipal da Criança, na tarde desta quinta-feira, 6, a enfermeira Suely Pinto falou como posicionar corretamente o bebê no ato de dar mama.

 

A palestra, destinada a estudantes da área de saúde, fez parte das comemorações da XXIV Semana Mundial do Aleitamento Materno. De acordo com a enfermeira, por motivos quaisquer as mães introduzem o leite artificial na alimentação dessa criança, seja por inseguranças ou por não saber posicionar corretamente o filho.

 

“Outros fatores são o de acreditar em mitos e tabus, entre eles, o de achar que o leite está fraco e o seu filho não está sendo bem alimentado”, afirma. Conforme a enfermeira, geralmente quando isso acontece falta também o apoio de familiares ou de um profissional de saúde para incentivar essa mãe a dar mama ao filho.

 

Para amamentar o bebê, disse a palestrante, o correto é colocá-lo totalmente virado para a mãe, com a barriga em contato com a dela, a cabeça apoiada na curvatura do cotovelo e o corpo apoiado no antebraço. A criança também deve estar com a boca aberta para abocanhar a maior parte da aureola do seio. “Assim ela vai conseguir sugar o leite da mãe, sem machucar o mamilo”, explica.

 

Além de Suely Pinto, também teve palestras da enfermeira Ana Margarete Maia, que abordou o tema “Amamentação na primeira hora”, e da psicóloga Tatiane Varjão, que falou sobre “Amamentação e vínculo afetivo”. Além de estudantes, marcaram presença a diretora presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas, e a diretora do Complexo Materno Infantil, Charline Portugal.

 

“Desde o desejo, a concepção, a mãe já tem um vínculo com o filho, que é processual no período da amamentação, através do toque, do olhar trocado, do acolhimento e do alimento dado, seja ele físico, emocional e nutricional. O período da alimentação se torna prazeroso por conta desse amor construído”, afirmou Tatiane.

 

A programação da Semana de Aleitamento Materno, cujo tema é “Aleitamento e Trabalho – vamos fazer funcionar” termina nesta sexta-feira, 7, na unidade de saúde do bairro Fraternidade, onde funciona um posto de coleta do Banco de Leite do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher. Haverá uma atividade comemorativa com as mães doadoras.