Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 05/11/2014

Jogadores do Bahia falam sobre crise no clube

treinosetembrotodos_FODIVO Bahia tem uma missão muito complicada na reta final do Campeonato Brasileiro. De acordo com o cálculo de alguns matemáticos, o Tricolor precisa de cerca de 5 triunfos para se livrar de um rebaixamento. O problema é que restam apenas seis para o fim da competição.

 

Desapegados dos números, os jogadores sabem que a missão é difícil, mas se recusam a jogar a toalha. “Agora a gente tem que trabalhar. Não adianta ficar lamentando, baixar a cabeça, reclamar. Tem de ter foco para vencer, que é tudo que nos interessa”, disse o atacante William Barbio.

 

Quem tem o mesmo pensamento do atleta é o lateral-direito Roniery, que voltou ao time titular na última rodada, diante do Palmeiras. “Vou ser sincero. A gente mesmo não sabe explicar o que acontece. A bola não entra, os juízes têm atrapalhado, já que não estão sendo incisivos nos seus critérios. É muito complicado, mas temos que buscar forças dentro do nosso grupo mesmo. A gente não tem feito os gols, mas o clima é o melhor possível entre o grupo”, disse ao Correio24Horas.

 

“Nesse momento, a gente busca força na torcida também, que tem que nos apoiar. Sei que é difícil e que eles querem muito mais cobrar. Estão no direito deles, claro, mas nós vamos batalhar até o final. A briga que teve aqui (Arena Fonte Nova) não é um clima ruim entre nós, é apenas um reflexo de que não nos conformamos com algumas coisas. A gente chega aqui para trabalhar e uma pessoa vem e prejudica tudo dessa forma? É delicado. Fora isso, estamos buscando o máximo de paz para seguir nosso caminho. Recolhemos os cacos e vamos nos fortalecer. Eu acredito até o final”, completou.

 

Quem também ainda não se conformou com a arbitragem de Leandro Pedro Vuaden foi o atacante Kieza. “Não sei para que serve o juiz que fica ali atrás, já que nunca vê nada, nunca marca nada. O zagueiro do Palmeiras agarrou a bola com a mão e nada foi feito. Enfim, vamos trabalhar mais uma vez e tentar novamente. Enquanto tivermos chances de tirar o Bahia dessa situação, a gente vai trabalhar para isso”, contou em entrevista ao Correio24Horas.

 

Cria da base, o menino Railan não se deixa abater. Triste com a situação do clube no Campeonato Brasileiro, ele ainda carrega consigo uma esperança de dias melhores. “Peço ao torcedor que acredite na gente, porque estamos trabalhando. É para acreditar mesmo, porque vamos tirar o Bahia dessa situação. Sabemos que não estamos correpsondendo, mas vamos conseguir”, disse.

 

“O torcedor do Bahia merece alegria, merece o Bahia na primeira divisão”, completou.

 

O Bahia ainda tem seis rodadas até o fim da competição. O próximo duelo será às 18h30 (horário de Salvador) deste domingo (9), diante do Goiás, no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

 
Correio-Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia