Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 08/12/2016

Jovens britânicos estão perdendo a confiança na Igreja, diz pesquisa

540x350_jovens1As igrejas estão perdendo a confiança dos jovens no que tange a atividades voltadas para este grupo, de acordo com pesquisa lançada na última quarta-feira (7). A pesquisa descobriu que pequenas congregações do Reino Unido muitas vezes não oferecem nada para os adolescentes e até mesmo aquelas que fornecem atividades para os jovens, não fazem isso de forma eficaz.

 

De acordo com a pesquisa, o estado das igrejas britânicas é de “desespero”. Apenas 50% das congregações falam regularmente sobre assuntos básicos com os jovens e a maioria nunca discutiu pornografia, atração pelo mesmo sexo, outras religiões, drogas e vício.

 

Os relatórios destacam uma disparidade entre o que a igreja oferece e o que os jovens querem falar, com muitos relatando que eles “não têm confiança” para falar sobre temas difíceis. Apenas 51% disseram que até mesmo ocasionalmente falam sobre saúde mental, apesar de 80% dos adolescentes dizerem que queriam aprender mais sobre isso.

 

Intitulada “Losing Heart” (Perdendo o Coração, em tradução livre), a pesquisa foi lançada no Palácio de Lambeth na noite da última quarta-feira pelo Youthscape Center for Research, uma instituição de caridade juvenil que pesquisou em mais de 2.054 igrejas em todo o Reino Unido. O estudo descobriu que muitas igrejas estão “lutando” para oferecer o mínimo necessário para os jovens e “sentem uma sensação geral de desespero” sobre como melhorar.

 

Trabalho da Igreja

 

A diretora Phoebe Hill disse que a pesquisa mostra uma falta de confiança no trabalho da igreja em relação aos jovens. “Muitas das igrejas pesquisadas se sentiam mal equipadas para lidar com os temas que os jovens realmente se preocupam, mas mais do que isso, eles se mostraram muitas vezes desapontados sobre a qualidade do seu trabalho para com os jovens”, relata.

 

“Quando perguntado ‘o que está indo bem em seu trabalho de juventude’, as respostas comuns incluíram ‘não muito’, ‘nada’, e ‘não me faz tão bem’. Isso é muito difícil de ser ouvido para mim que sou especialista da juventude. Mas essa não pode ser a palavra final. Temos claramente um trabalho a fazer em termos de confiança”, ressaltou a diretora.

 

Chris Curtis, CEO da Youthscape, disse: “Especulamos sobre o quão difícil algumas igrejas encontram seu ministério de jovens, mas agora a pesquisa está nos dizendo que há um problema real”, pontuou.

 

“No entanto, muitas vezes são em momentos como este, onde percebemos que tudo não está bem, que nos estimulam a mudar e a crescer. Eu estou cheio de esperança que na próxima década podemos refazer o trabalho de jovens e crianças neste país e renovar de maneira que ainda temos vamos descobrir”, finalizou.

 

 

GUIAME